Demorou três meses, mas os piratas afirmam que finalmente conseguiram quebrar as proteções DRM no Assassin’s Creed Origins. O grupo italiano CPY anunciou ontem... Após 3 meses, piratas afirmam terem crakeado Assassin’s Creed Origins

Assassins-Creed-Origins

Demorou três meses, mas os piratas afirmam que finalmente conseguiram quebrar as proteções DRM no Assassin’s Creed Origins.

O grupo italiano CPY anunciou ontem (04) no sub-reddit CrackWatch que eles tinham quebrado a proteção antipirataria do jogo. Assassin’s Creed Origins é um caso único, pois é protegido não só pelo Denuvo 4.9, mas também pelo VMProtect e pelo Uplay DRM.

Esta combinação frustrou alguns jogadores, já que esses serviços anti-pirataria são executados em segundo plano e podem causar problemas de desempenho nos jogos.

Geralmente, os hackers rompem essas proteções dentro de algumas semanas após o lançamento do jogo. No ano passado, os piratas quebraram as proteções de Denuvo em Total War: Warhammer II e Terra Média: Sombras da Guerra em menos de 24 horas. Isso foi um duro ano passado para a empresa, que recentemente foi comprada pela empresa sul-africana de software Irdeto.

Algumas empresas removem as proteções da Denuvo após verem seu títulos sendo pirateados. A Bethesda, por exemplo, fez isso com Doom em 2016 após quatro meses antes de ser pirateado, e isso protegeu as vendas iniciais do jogo. No entanto, a Ubisoft não fez isso no passado. Por sua parte, Denuvo já lançou a versão 5.0 do seu software.

jorgemoderador

Sou advogado e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Acompanho todos os produtos das Microsoft, inclusive como jogador do Xbox One.

Curta nossa nova página no Facebook!