Carregando...
0 1

Grandes exclusivos devem chegar ao Xbox One, e mesmo que leve tempo, a Microsoft tem esse tempo

Grandes exclusivos devem chegar ao Xbox One, e mesmo que leve tempo, a Microsoft tem esse tempo

xbox-one-X

O que provavelmente começou em 2016 com o cancelamento de Fable Legends e, em seguida, agravado pelo cancelamento de Scalebound, a linha exclusiva de jogos da Microsoft tem estado na mira de muita gente. Deixamos nosso coração de lado, e vamos analisar os números frios do que é rentável ou não.

Não ajuda que seu principal concorrente, o PlayStation, parece estar lançando jogos fotorrealistas, como Bloodborne, Horizon Zero Dawn e, mais recentemente, God of War, entre outros. A Microsoft também tem algumas vitórias, com títulos como Gears of War 4 e Forza Horizon 3, mas muitas vezes parece que muitos dos jogos que a Microsoft está lançando são menores em termos de alcance, tanto visualmente quanto em termos de conteúdo de jogo real.

O que vem acontecendo na Microsoft Studios recentemente, e isso vai mudar? Precisamos falar sobre isso.

Microsoft ouviu as críticas

É importante notar, a Microsoft ouviu as recentes críticas sobre os títulos do first party em voz alta e clara. Phil Spencer, líder da divisão dos games, concorda que a divisão precisa de mais RPGs, que o Xbox precisa de mais apoio de desenvolvedores japoneses e que, em última análise, a empresa quer investir na construção de novas e profundas experiências.

Enquanto eu realmente gostava de Ryse e Quantum Break, de acordo com as últimas declarações nas redes sociais, essas sequências provavelmente nunca chegarão. Eu não sou um grande fã de Halo (desculpe), mas sou um grande fã de Forza e Gears. Eu estava imensamente animado com Sea of Thieves, mas de alguma forma me convenci de que o produto final teria que ser mais amplo e ainda existem muitos problemas a serem resolvidos. Eu gostei do ReCore pelo que é. Estou ansioso por State of Decay 2 e Crackdown 3, mas minha experiência com outros títulos recentes da Microsoft me convenceu de que eu deveria acalmar minhas expectativas.

Muitas das maiores vitórias da Microsoft parecem ter sido apostas editoriais exclusivas em títulos artísticos como Ori and Blind Forest, mais recentemente, Cuphead  (ou PUBG)- e isso é ótimo, mas quando o maior concorrente do Xbox está oferecendo jogos muito maiores com valores de produção de Hollywood, isso claro que deixa o mercado mais ansioso para ver a resposta da Microsoft.

Como chegamos aqui?

tomb-3

Claramente, a Microsoft não quer dar à Sony ou a outros concorrentes qualquer vantagem. O 4K no Xbox One X é uma resposta direta às críticas iniciais sobre o Xbox One original, sendo que a Microsoft tem sido líder no aprimoramento e aperfeiçoamento do sistema operacional.

Recentemente, a Microsoft se reorganizou, eliminando o ex-chefe da Windows & Devices, Terry Myerson, enquanto elevava Phil Spencer para o alto da liderança. O próprio Windows já foi canibalizado por outras divisões, dividido em uma nova unidade “Experiências e Dispositivos” do Vice-Presidente Executivo Rajesh Jha e do grupo “Cloud e AI” de Scott Guthrie. O criador do Surface, Panos Panay, agora é o diretor de produtos da empresa e, desde o ano passado, Phil Spencer realmente está na cúpula da empresa pela primeira vez.

Ocorre que, o ex-diretor do Xbox, Don Mattrick, e o ex-chefe do Windows, Terry Myerson, são acusados por muitos pelos problemas enfrentados pelo Xbox hoje. Burburinhos dizem que o orçamento de jogos como Quantum Break e Ryse, eram baixos, e o Xbox estava usando o orçamento para enfatizar outras áreas. Com Spencer liderando o ataque, respondendo diretamente ao CEO Satya Nadella, isso deve mudar agora – mas pode levar tempo. O Windows Central assegura que os jogos de grande orçamentos estão na pauta.

mixer

O dinheiro que a Microsoft gastou em produtos como o Mixer.com pode não parecer muito valioso hoje, mas são importantes desenvolvimentos para um futuro em que o acesso à internet de alta velocidade seja onipresente. Um dia, a Amazon poderia simplesmente entrar no mercado, oferecer streaming de jogos de baixa latência para os assinantes da Amazon TV e atrapalhar o mercado de jogos como conhecemos. O console como é hoje pode não durar para sempre, e a insistência da Microsoft em instalar centros de dados e acesso dedicado à internet em todo o mundo é parte da defesa contra essa ameaça da Amazon e de outras empresas preocupadas com a nuvem. O Mixer é uma defesa pessoal para a uma da grandes apostas do futuro no mundo dos games, a Amazon e seu Twitch.

Em um mundo perfeito, podemos ter jogos e recursos exclusivos de qualidade, e isso certamente parece ser o objetivo que o Xbox está trabalhando agora. As notas dos investidores recentes da Microsoft enfatizaram que os custos operacionais em toda a empresa iriam aumentar, devido a um aumento no investimento em jogos.

Pode ser de pouco conforto para as pessoas que querem esses jogos de ação fotorrealistas agora, mas é importante entender que o Xbox, como um negócio, tem que levar mais a sério essas ameaças externas. Nós já falamos da possibilidade do “God of War” no Game Pass no futuro, e agora fica mais fácil entender isso.

O que o futuro parece

Red-Dead-Redemption

Esses exclusivos para um único jogador do Playstation podem estar recebendo toda a atenção da imprensa e elogios do Metacritic, mas do ponto de vista comercial, eles não são tão importantes quanto as pessoas podem querer acreditar. Pode parecer contra-intuitivo, mas você não ganha dinheiro no mercado de consoles vendendo apenas consoles. É por isso que a Microsoft disponibilizou sua linha de produtos tanto no PC quanto no Xbox – a plataforma em dispositivos baseados no Windows 10 foi criada para vender software e serviços, não especificamente hardware. Os próprios consoles têm margens muito pequenas e devem ser vistos como uma entrada para o ecossistema mais amplo de software e serviços do Xbox no PC e nos consoles. Especialmente à medida que a geração chega ao fim, a Microsoft não precisa confiar em exclusividades para vender seu ecossistema, porque títulos multiplataforma como Fortnite, PUBG, Far Cry 5 e produtos básicos como Call of Duty têm feito o trabalho pesado. A menos que algo dê errado, eu diria que é justo apostar que Red Dead Redemption 2 venderá mais consoles para Xbox e Playstation do que qualquer jogo “exclusivo” este ano.

Nenhum dos meus amigos ou meus afilhados conhecem God of War ou Halo, mas a grande maioria compra console para jogar FIFA e GTA. Os multiplataforma reinam nas grandes massas, não como negar.

Embora não seja um grande problema agora, a falta de grandes exclusivos fotorrealistas se tornará no futuro próximo se o Xbox não consertá-lo. Pode ser por isso que durante alguns anos, o foco da Microsoft tem sido em títulos multiplayer, “jogos como um serviço” com atualizações contínuas e taxas de assinatura, como Xbox Live e Xbox Game Pass. Os serviços investidos na plataforma têm um retorno mais saudável do que construir um enorme blockbuster de Hollywood, especialmente quando os parceiros (Sega, Capcom, CD Projekt Red, etc.) da Microsoft fazem a mesma coisa, muitas vezes com visuais melhores em PCs com Windows e Xbox One X.

As vendas de console do Xbox estão em alta ano a ano (15%), é o único console que está crescendo em 2018 (segundo NPD Group), apesar das críticas da imprensa tradicional. É completamente justo criticar os altos escalões da Microsoft pré-re-organização por não reconhecerem a necessidade de o Xbox ser melhor nesta área mais cedo. Embora não seja um grande problema agora, ele se tornará um no futuro próximo se o Xbox não consertá-lo.

Se o streaming em nuvem e os serviços de assinatura no estilo Game Pass forem o futuro, as exclusividades tornar-se-ão críticas para o sucesso do Xbox. Se todos os serviços de assinatura em nuvem tiverem desempenho igual (e com certeza, eles podem não funcionar, mas assumindo que eles o tenham), serão conteúdos e recursos exclusivos que determinam onde você vai assinar. Amazon Prime Video vs. Netflix. Você vai perder a terceira temporada de Lá Casa de Papel?

Em um mundo perfeito, a Microsoft teria exclusividades importantes para cada mês do ano, passando pelo Game Pass para manter as assinaturas ativas. As vendas no varejo da Sea of Thieves foram impulsionadas através do Game Pass via serviços de streaming. A viralidade ajudou a empurrar o jogo para o número 1 no Twitch, que por sua vez elevou às vendas.

É claro que a probabilidade de obter grandes jogos de qualidade “AAA” para cada mês é, na melhor das hipóteses, improvável, mas grandes atualizações para jogos exclusivos, jogos episódicos e acordos com terceiros podem certamente ajudar a preencher a lacuna. Teoricamente, as assinaturas também poderiam levar a uma maior diversificação de conteúdo, como visto na Netflix. Eu não acho que nenhuma empresa esteja em melhor posição para conseguir isso nos jogos do que a Microsoft e tem muitos “gaviões” maiores que a Sony e a Nintendo rodando este terrento.

Conclusão

Apesar do barulho, a Microsoft pode se dar ao luxo investir e dar mais tempo para sua linha de jogos exclusivos de peso, mas certamente não para sempre. A Sony tem seu próprio serviço de streaming conhecido como PS Now, e rumores sobre o Google, TenCent e Amazon estão cada vez maiores.

O Xbox tem usado seus recursos para ajudar a evitar essas ameaças futuras das grandes empresas de tecnologia. Vai levar tempo, mas com a reorganização em vigor, estou confiante de que o Xbox está extremamente bem posicionado para desenvolver uma programação exclusiva que os fãs desejam, e os futuros fãs desejarão. Acredite: a nova equipe da Microsoft é altamente competente, se você acompanha, mesmo que por cima, o mundo dos negócios sabe que ela está cada vez mais forte, e abriga é maior do que muitos acham, Xbox entrou nisso para ganhar.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.

Curta nossa nova página no Facebook!