Carregando...

A Plataforma Universal Windows está morta e enterrada?

A Microsoft tinha um sonho com o Windows 8, que envolvia aplicativos universais do Windows, abrangendo smartphones, tablets, PCs e até consoles do Xbox One. O plano era que os desenvolvedores de aplicativos pudessem escrever um único aplicativo para todos esses dispositivos e, magicamente, estendesse-se a todos eles. Este sonho realmente começou a desmoronar depois que o Satya Nadella, atual CEO da empresa, decidiu matar o Windows Phone.

A Microsoft passou anos incentivando os desenvolvedores a criarem aplicativos especiais para a Plataforma Universal do Windows (UWP) da empresa e, hoje, está colocando o último prego no caixão do UWP. A Microsoft está finalmente permitindo que os desenvolvedores de jogos tragam jogos nativos completos do Win32 para a Microsoft Store, o que significa que muitos jogos que os desenvolvedores publicam em lojas populares como o Steam e Epic Games não precisam ser reconstruídos para o UWP.

“Reconhecemos que o Win32 é o formato de aplicativo que os desenvolvedores de jogos adoram usar e os jogadores adoram jogar, por isso estamos animados em compartilhar que estaremos permitindo suporte completo para jogos nativos do Win32 na Microsoft Store no Windows”, explica o diretor de jogos da Microsoft. Phil Spencer “Isso vai desbloquear mais opções para desenvolvedores e jogadores, permitindo a personalização e controle que eles esperam do ecossistema de jogos abertos do Windows”.

Essa é uma grande mudança para a loja de aplicativos do Windows, principalmente porque os jogos são uma das formas mais populares de download de aplicativos nas lojas de apps. Anteriormente, os desenvolvedores foram forçados a publicar jogos para o Windows 10 através da Plataforma Universal do Windows, que simplesmente não tem o mesmo nível de personalização que os desenvolvedores de jogos esperam do Windows ao longo dos anos. E foi também por isso que a Microsoft Store nunca cresceu como esperado.

Contudo, não ache que só nos jogos houveram mudanças. A Microsoft recentemente revelou seu esforço para mudar o navegador Edge da empresa para o Chromium e passa longe do UWP para disponibilizá-lo no Windows 7, no Windows 8 e no MacOS. Joe Belfiore, da Microsoft, admitiu em uma entrevista ao The Verge no início deste mês que a UWP era um “obstáculo” para Edge. “Não é que a UWP seja ruim, mas a UWP não é uma plataforma madura de 35 anos que possui uma quantidade ridiculamente grande de aplicativos”, disse Belfiore na época.

Além disso, com a morte do Windows Phone, parece improvável que o plano original para UWP funcionasse. A Microsoft, ainda recentemente , suspendeu as versões UWP do Office que aceitam o toque, preferindo se concentrar na web, iOS, Android e seus aplicativos de desktop. O Office sempre foi a peça central do UWP e um bom exemplo de como criar um aplicativo mais exigente na nova plataforma da Microsoft.

A Microsoft está finalmente ouvindo desenvolvedores de aplicativos e jogos e não tentando forçar mais ao UWP. “Você nos disse que gostaria que continuássemos a desacoplar muitas partes da Plataforma Universal do Windows para que você possa adotá-las de forma incremental”, explicou Kevin Gallo, chefe da plataforma de desenvolvimento do Windows, no início deste mês. Isso significa que os desenvolvedores poderão adotar algumas das partes boas da UWP ao longo do tempo. Em uma entrevista separada com a ZDNet, Gallo revelou que “quando terminarmos, tudo será chamado de ‘Aplicativos do Windows'”. A Microsoft ainda não está lá, mas tem o objetivo de disponibilizar todos os recursos da UWP para todos os desenvolvedores.

O apoio de Sweeney da Epic Games e o novo movimento da Microsoft para trazer mais jogos para o Steam são bons sinais de que Phil Spencer, líder da divisão do Xbox, está mudando mais do que apenas o console Xbox da Microsoft. Agora, teremos que esperar para ver o que os desenvolvedores de aplicativos e jogos fazem dessa vez com uma plataforma de aplicativos da Microsoft Store e do Windows que é muito menos restrita.

O legado do Windows, sejam de programas ou jogos, é muito vasto e não fazia tanto sentido a Microsoft não explorar isso em sua loja. A empresa ainda pretende continuar com o UWP, mas vai levar muitos de seus recursos ao Win32 e assim modernizá-los. Tanto o Win32 quanto o UWP serão chamados de “Aplicativos do Windows”.

Muito provavelmente saberemos mais sobre isso, no que tange aos jogos, na E3 2019 que será realizada na próxima semana, dia 9 deste mês.

 

VIA

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.