Análise: preço dos novos PCs “sempre conectados” é justo?

asus-novago

Daniel Rubino do Windows Central fez um artigo bacana sobre o preço dos PCs com processadores ARM e resolvi trazer o texto para o Windows Club.

Esses novos PCs “sempre conectados” da ASUS e HP são muito caros? Vou explicar por que eles custam tanto e por que pode não ser importante a longo prazo.

No início desta semana, a Microsoft e a Qualcomm apresentaram os primeiros PCs “sempre conectados” com Windows 10 no processador ARM através do Snapdragon 835. A novidade é uma mudança maciça para um futuro móvel onde a computação moderna está indo. Também é apenas o começo, como esperamos que a Lenovo e outros fabricantes entrem também nesse barco em 2018 – talvez até a Microsoft também com sua linha Surface.

Algumas pessoas imediatamente afirmaram que o preço inicial de U$ 599 dólares para o ASUS NovaGo é muito alto. Esse dispositivo possui um a tela LCD Full HD (1920 x 1080) de 13,3 polegadas com 100% de sRGB, 64 GB de armazenamento, suporte para Windows Ink, um scanner de impressão digital, um touchpad de precisão e muito mais. O preço pula para US $ 799 para 256GB de armazenamento e 8GB de RAM.

A HP também anunciou o Envy x2, mas não divulgou o preço planejado para a sua liberação no início do ano que vem. Devido aos materiais premium utilizados, o design fino e a tendência da HP de usar peças de qualidade provavelmente virão custando mais de US $ 799 dólares, embora provavelmente inclua o teclado e a caneta.

hp-envy-x2

Eles são caros demais? Eu digo não. Estamos apenas no início da onda dos PCs “Always-Connected” (sempre conectados), e haverá muitas outras opções no futuro.

Por US $ 599, é difícil comparar

O iPad Pro de 13 polegadas começa em US $ 799 por 64 GB, mas vai para US $ 929 quando você adiciona o LTE, mas ainda é difícil compará-lo com ASUS NovaGo pois são produtos diferentes.

Algo como o ASUS NovaGo não existe nada no mercado similar pela sua faixa de preço. Por exemplo: Suporte para Windows Ink, vida útil da bateria de uma semana, 4G LTE, Wi-Fi, Touchpad de precisão e tela com cores precisas.

O suporte a caneta é um grande negócio. Enquanto uma tela sensível ao toque é uma coisa que não significa que as habilidades da caneta N-trig estão presentes. O Dell XPS 13 é um exemplo perfeito. Ele tem uma tela sensível ao toque, mas ele não suporta smartpens porque esse é um componente extra, que também aumenta o custo total do dispositivo.

Não há Chromebooks que ofereçam suporte a digitalização naquela faixa de preço, além de suportar autenticações biométricas. Uma tela 100% sRGB é muito difícil de encontrar e é encontrada apenas em laptops high-end.

Por outras palavras, por US $ 599, o ASUS NovaGo traz características e qualidade únicas por esse preço pela primeira vez. É difícil fazer comparações diretas porque há muito poucos – se houver – dispositivos que compartilhem essas habilidades com tal preço.

Todo o paradigma do PC é sobre permitir que os fabricantes diversifiquem a base de preços, em seguida, criem dispositivos para atender as necessidades de cada um. Esse raciocínio se aplica aos “PCs sempre conectados“, e eu espero ver esses dispositivos atingindo U$ 299 (ou ainda mais barato) e preços muito mais altos também. Não há nenhuma razão para que a Dell ou a HP não possam fazer um XPS ou Spectre “high-end” com um processador Qualcomm que funcione bem por US $ 1.000 se eles usam componentes de qualidade e oferecem um ótimo desempenho.

Se a ASUS ou a HP lançassem esses dispositivos sem recursos significativos, poderia ter passado uma mensagem errada. Em vez disso, deve deixar claro que estes são PCs funcionais e concorrentes da Intel e não o “Netbooks 2.0”.

O ponto mais importante é que o NovaGo e o Envy x2 são apenas dois dos muitos PCs sempre conectados para os próximos anos. Esses primeiros PCs não representam tudo. E há todos os motivos para acreditar que veremos muitos atingindo preços mais baixos em 2018.

Esta é apenas a ponta do iceberg, e precisamos de tempo para oferecer aos consumidores, ao mercado e aos fabricantes tempo para ajustar e responder. Todo mundo lembra dos PC dois-em-um pós-Windows 8 e que fizeram sucesso só bem depois dele. Esse processo demorou alguns anos, mas agora os PC híbridos estão aqui. Mesma coisa acontecerá com os PCs sempre conectados, irão respirar e amadurecer também.

40 comments on “Análise: preço dos novos PCs “sempre conectados” é justo?

    1. Depende de quem for usar. Eu por exemplo mantenho quase todos os meus arquivos em nuvem, e o que é mais importante mantenho no pc de casa, por isso o notebook com 64 gb sempre tem memória de sobra. Esse tipo de dispositivo não parece ser feito pra ser dispositivo principal do usuário.

      1. Sim, também sou fã do serviço em nuvem, mas a usu somente para arquivos que vou precisar a longo prazo ou como cópia dos já existentes no dispositivo, afinal, nem sempre estamos conectados a ela ☁.

        Apesar de estarem começando com o projeto, esse parece ser sem dúvida, a nova categoria de pc que veio pra ficar por todas as vantagens que trás.

  1. Estes PCs rodando Windows 10S tem que ser comparados a Chromebook e não a iPad e Cia. , na minha opinião estão muito caros para o que oferecem , é outra , a cada nova geração do snapdragon novas funções no OS serão incorporados que os mais “antigos” não suportaram é dá-lhe fragmentação .

  2. Vai ter quem prefira pagar U$ 999 Trumps em um ipad, assim como vão ter aqueles que preferem usar a inteligência. No final das contas nada disso importa, quando chegar no Brasil a gente rouba tudo.

  3. Depende de quem for usar. Eu por exemplo mantenho quase todos os meus arquivos em nuvem, e o que é mais importante mantenho no pc de casa, por isso o notebook com 64 gb sempre tem memória de sobra. Esse tipo de dispositivo não parece ser feito pra ser dispositivo principal do usuário.

  4. É só o começo. Obviamente que seu lançamento não foi dos mais atrativos, mas é só o começo. Essa é uma das vantagens do Windows e parceria, com o passar do tempo tudo melhora.

  5. O ideal é nunca comprar uma coisa logo no seu lançamento… ou então (no meu caso) comprar pelo menos 1 geração “atrasada”: a diferença de preço geralmente é significativa…

  6. assim, eu acho que com o Windows completo full vai ter mais utilidades do que esse Windows 10 S. Acho que o erro está ai.

    Ainda mais no Brasil, onde o pirata crackeado reina.

  7. Não sei quanto custa só o processador (o 835) mas imagino que o custo total tem que ficar parecido com um celular que use esse processador, até pelos componentes serem parecidos..
    Esse modelos só vão baratear quando tiver processadores snap mid/low-end (400/200) que suportem o W10S

    1. O SD835 custa no máximo uns $50. Já vi lugares dizendo que ele custa uns $30.

      Sobre o preço, o S8 foi lançado a $720, então não está muito mais diferente. Porém eu acho que um PC assim tem que ser mais barato que um smartphone de mesma configuração.

        1. Antes de tudo, é minha opinião. Vamos lá, vejo que são dois motivos principais para que um smartphone com o mesmo hardware seja mais caro.

          1) Apesar de ser o mesmo hardware, a miniaturização dos componentes deixa mais caro. Uma tela 4K de 5″ é mais cara de se fazer do que uma tela 4K de 13″.

          2) Por smartphones serem um produto muito mais desejados do que os PCs atualmente, os fabricantes podem se da ao luxo de trabalharem com margem de lucro maiores.

          1. Ok. Mas não quer dizer que tenha que ser mais caro.
            Mesmo argumento de hardware, um PC vai teclado, portas USB etc.. Não implica em muita diferença de preço. O que pega é o software.

            Visto isso, ainda acha certo um smartphone ser mais caro?

          2. Sim. Acho certo.

            Cara, mesmo para pessoas que trabalham com PC (como eu, sou desenvolvedor) o PC é aparelho secundário. A pessoa passa o dia inteiro com smartphone e quando chega em casa nem ligar o PC liga.

            O smartphone tem mais utilidade, tem mais demanda de mercado, o processo de fabricação é mais complicado, está no hyper e por isso se justifica ele custar mais caro.

          3. Bom, é sua opinião. Mas não justifica custar mais caro nem em hardware ou software.
            Veja o custo de produção de cada produto e o preço aplicado.
            Você, como desenvolvedor, dizer que smartphone tem mais utilidade é no mínimo incoerente, visto que você programa no PC e não smartphone.
            Mas…
            De novo, é sua opinião somente e não a realidade.
            Cada um com seu jeito!!!
            Vlw.

  8. O duro será ter de pagar duas contas de dados móveis. Uma para o smartphone, outra para o notebook.
    E pelo que vi nos vídeos de apresentação, os pacotes disponíveis giram em torno de 1Gb~2Gb. Isso em um desktop equivale a menos de um dia de navegação “normal”.

    Então se o sujeito realmente quiser que o PC seja “always connected”, que prepare o bolso, pois a facada será grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *