Carregando...

Apple e Samsung abrem caminho para o retorno da Microsoft nos dispositivos móveis

Apple e Samsung abrem caminho para o retorno da Microsoft nos dispositivos móveis

ios-android-w10m

Não, não estamos dizendo que a Microsoft irá voltar a lançar smartphones para concorrer com o iPhone ou Galaxy. Os Lumias já tiveram sua página na história. Contudo, a história ainda não acabou e a Microsoft irá lançar uma nova categoria de dispositivos híbridos que mescla o melhor dos smartphones com o poder dos PCs.

A Apple, a Samsung e a fabricante de câmeras 4K, RED, estão prontas para lançar novos smartphones nos próximos meses que custam muito mais de US $ 1.000 dólares. Embora um novo mercado premium cause desconfianças para alguns, o movimento é bom para a Microsoft, pois tudo isso se prolongará em 2018, quando poderá voltar a entrar no mercado móvel.

A questão não é se os consumidores irão pagar altos valores por dispositivos móveis – eles vão -, mas quanto tempo levará para que todos os fabricantes adotem a estratégia de hardware móvel ultra premium?

Um Surface para o seu bolso

surface-phone-westworld

Rumores confiáveis sugerem que a Microsoft está no caminho certo para voltar a entrar no mercado de smartphones móveis em algum momento de 2018, possivelmente no primeiro semestre do ano. Os rumores de um “Surface Phone” são tão antigos quanto os rumores de novas sequências de Star Wars, com a ressalva de que o último está realmente acontecendo.

No entanto, a Microsoft afirmou inúmeras vezes que não está abandonou o campo de dispositivos móveis e que ela irá voltar com uma nova categoria, com um novo tipo de dispositivo. Presumivelmente, a empresa não o chamará de smartphone para distanciar-se dos concorrentes de ponta, como Samsung e Apple.

O tal Surface Phone provavelmente será dobrável, tornando-o parte tablet, parte phablet como o que eles usam na série da HBO Westworld (foto acima), mas com o Windows 10 completouma coisa que sabemos é que não será barata.

A marca Surface tem sido sempre premium, por vários motivos. Por um lado, são apenas dispositivos high-end com engenharia de precisão excepcional, mas também porque a Microsoft não busca ganhar território dos seus parceiros no PC. O Microsoft Surface é um exemplo. Eles são dispositivos para dar ideias e não são para ganhar participação de mercado significativa. No entanto, ganhar mindshare, no entanto, é vital.

Assumindo que a Redmond lance um sistema operacional híbrido e um dispositivo celular que ostenta uma caneta e tela dobrável, os preços teriam que começar em US $ 1.000 ou mais a depender das configurações de armazenamento e processador.

O problema deve ser óbvio para a Microsoft. Os smartphones estão abaixo de US $ 1.000, atingindo o máximo de US $ 899. Após a derrocada do Windows Phone, se a Microsoft voltasse com um celular custando mais que US $ 1.000 seria desastroso. Felizmente, parece que a Microsoft não será a primeira.

O Hydrogen One da RED e o novo iPhone da Apple estabelecem o caminho premium

Em julho de 2017, a empresa de câmeras high-end, RED, de repente, anunciou que estava lançando seu novo smartphone, chamado Hydrogen One. O Hydrogen One da RED, custa a partir de US $ 1.200, enquanto a edição de titânio é US $ 1,595. Não se engane, estamos entrando na zona ultra premium de dispositivos móveis inteligentes.

Com o Android, uma câmera high-end e uma tela holográfica, o RED Hydrogen One poderia ser a porta de entrada para esta novata nos smartphones. Ou não.

A Apple, entretanto, venderá um novo iPhone na faixa de US $ 1.200. Os rumores sugerem uma tela quase sem bordas, carregamento sem fio, reconhecimento facial e muito mais – que os Lumias já possuiam. Enquanto toda essa tecnologia existe há anos, já estamos preparados para ver as notícias que foi a Apple “que inventou pela primeira vez“.

A Samsung também deve entrar no mercado high-end com uma próxima Galaxy Note 8 que poderia custar US $ 1.000. Nada disso é coincidência, já que o celular ultra-premium está acontecendo.

Por que o celular caro faz sentido

xbox-one-X-2

Apenas alguns anos atrás, os smartphones eram nicho quando a maioria dos usuários ainda usavam feature phones (lanterninhas) que custam US $ 199. Em 2017, você seria visto como um estranho se usasse um celular sem sistema operacional.

Graças à Apple e Samsung, os smartphones mais caros se tornaram convencionais. A Apple é a empresa mais valiosa do mundo por isso. À medida que a tecnologia móvel continua a receber investimentos substanciais, novos processadores mais potentes, de repente o smartphone agora é a peça central da computação diária de muitas pessoas.

O mesmo está acontecendo nos games, com fabricantes de PCs personalizados vendendo máquinas de US $ 5.000. A Microsoft está lançando preços de consoles mais caros como o premium Xbox One X, algo que a mídia de jogos disse que os consumidores não aceitariam.

Da mesma forma, as empresas de tecnologia na China e em Hong Kong, como a OnePlus e a Huawei, estão provando que também que podem gozar de dispositivos premium.

Finalmente, podemos resumir as tendências futuras em computação móvel e de smartphone:

Os dispositivos móveis ultra-premium que começam a partir de US $ 1.000 entrarão no mercado no final de 2017, se tornarão mais convencionais em 2018. Os phablets são apenas smartphones comuns atualmente, mas o aumento da tela não ficará parado em bordas ultra-finas, com a Microsoft já criando um ecossistema para essas mudanças. O hardware móvel está ficando suficientemente poderoso para começar a desafiar a computação em nível de um Ultrabook – Snapdragon 835, estamos falando também de você.

Anos atrás, quando surgiram as brincadeiras de um “Surface Phone”, os maiores obstáculos a esse dispositivo eram o hardware anêmico disponível e o preço extravagante (em comparação com os smartphones). Curiosamente, o próprio mercado agora está criando uma paisagem muito mais propícia e benéfica para esses novos conceitos. Não apenas a Microsoft, já que a Apple e os fabricantes de dispositivos Android estão se ajustando adequadamente também.

O celular ultra-Premium está chegando, então prepare-se

Pode ser bom que a Microsoft não seja a primeira a comercializar este novo nicho de preço. Sair do nada com um dispositivo de bolso que custa mais de US $ 1.000. Todos cairiam matando no seu produto, nós conhecemos essa história.

Com a Apple lançando primeiro, a Microsoft terá mais um bom argumento para capturar clientela. Mesmo assim, uma importante batalha da Redmond vai começar, mas o preço poderá ser aceitável. Os consumidores serão “amaciados” para aceitar um “telefone” de US $ 1.200, mesmo que não possam pagar.

Estamos prestes a entrar em uma nova área para tecnologia móvel, onde laptops, phablets e smartphones finalmente se fundem, e isso é interessante, os tais “dispositivos móveis definitivos“. Claro, os parceiros da Microsoft criaram dispositivos mais baratos, mas é melhor você começar a economizar seus centavos.

Via: Windows Central

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.