Carregando...

Boicote geral: exclusividade de Spec Ops em Call of Duty Modern Warfare com PS4 incendiou a internet

Os tempos mudam e, com os tempos, às vezes também preferências e concepções do que é certo ou não. Coisas como exclusividades temporárias, já foram questionáveis, agora são muito mais. Alguns anos atrás, o acordo com a Microsoft e Square Enix causou alvoroço ao ter em nosso console o Tomb Raider por um ano. De acordo com o que Spencer diz agora, esse foi o resultado de uma situação pontual, e tanto esse tratamento quanto o conteúdo exclusivo em jogos multiplataforma são algo que permanece para o Xbox no passado. No entanto, os jogadores se encontraram ontem com a notícia de que um modo, também bastante popular, do novo Call of Duty Modern Warfare estaria apenas em uma plataforma e também por um ano inteiro.

Isso, como você pode imaginar, não foi bem visto por muitos fãs de Call of Duty que jogam no Xbox ou PC e que não poderão aproveitar o modo Survival Spec Ops do Call of Duty Modern Warfare até 2020. A questão aqui é a seguinte: se o preço do jogo é similar nas três plataformas, então existem plataformas que compraram um jogo incompleto. Por que comprá-lo antes?

Um dos lugares onde os jogadores geralmente se sentem bem para expor suas opiniões são as redes sociais, especialmente as mais populares entre os fãs de videogame. Se olharmos para trás, veremos como o escândalo que acompanhou o lançamento do Battlefront 2, seu sistema de progressão e personagens desbloqueáveis, nasceu em um tópico do Reddit que acumulou dezenas de milhares de votos e comentários. O “Specopsgate” do Call of Duty Modern Warfare já tem seu ponto principal.

Neste momento, a proposta de um usuário da referida rede de não comprar o novo CoD acumula mais de 38.000 votos. A discussão é viralizada a tal velocidade que, no começo da redação deste artigo, tinha 600 votos a menos e eram apenas 24.000 nesta manhã. Nos fóruns de Resetera, o assunto tem vários tópicos a esse respeito, alguns criados se perguntando como é possível que a imprensa não esteja exigindo que a Activision retifique. De qualquer forma, o importante é que os jogadores votem na carteira?

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.