Carregando...

É o fim do “Xbox Mil Grau”, Xbox Brasil toma medidas drásticas de repúdio contra o grupo

A Xbox Mil Grau nasceu como uma defesa da nação do Xbox, e vamos ser sincero, grande parte da “mídia especializada” parece que esquece os pontos positivos do Xbox One e de seus jogos e super valoriza os pontos do Playstation. Este grupo, com muito bom humor, nasceu para combater isso e assim o fez com maestria.

As piadas em suas páginas de memes e os vídeos “desmascaravam” geradores de conteúdo que deveriam ser isentos, assim não eram, e que muitas vezes passavam desinformação para o consumidor. Claro, eles eram os heróis caixistas e viralizaram. Nós amamos o Xbox e estamos sendo representados por eles de certa forma.

Em 2017, o grupo chegou a participar do Inside Xbox, um programa oficial no canal do Youtube do Xbox Brasil. Um pouco antes, tiraram fotos com Phil Spencer, e mais recentemente o bordão “E é com isso?”, que eles tanto usavam, foi propagado pelo perfil oficial do Xbox Brasil no Twitter.

Tudo isso acabou.

A Xbox Mil Grau passou por séries de polêmicas, recebeu vários processos nas Justiça por danos morais, desacatou a Microsoft no Mixer e mais recentemente foi acusado de racismo, justamente agora que o mundo todo está mobilidade por conta dos protestos #BlacklivesMatter.

Xbox Mil Grau ficaram conhecidos por ser uma comunidade tóxica, com piadas que depreciam direitos básicos do ser humano. Mais recentemente, um dos seus integrantes, afirmou que “carregam a marca Xbox nas costas” – prepotência também fazem parte de seus adjetivos.

A onda de negatividade já começava a ultrapassar as fronteiras do Brasil e grande parte da comunidade começou a pedir que a Xbox Brasil tomasse um posicionamento, pois usavam a usa marca para, entre outras agressões, praticar comentários considerados racistas e ofensivos por grande parte da comunidade Xbox.

Agora a Xbox Brasil proibiu de utilizar “Xbox” para os novos órfãos, pois eles não representam os valores da empresa e muitas pessoas leigas poderiam ver esses vídeos e achar que o público do Xbox tem aquele pensamento, mas não tem! A graça acabou a partir do momento que o respeito não existia mais.

Atualmente, a sensação que passa é que você pode ser racista ou qualquer coisa deste tipo na nossa sociedade através de “piadinhas” ou “bait”  que a impunidade prevalece. As pessoas perderam  o medo de ser racistas. Sim, todos nós aqui amamos o Xbox, mas os valores do nosso caráter devem estar frente a qualquer marca.  A impunidade não pode prevalecer, é algo que tem que ser repudiado e que todas as grandes empresas gamers do mundo estão se manifestando contra  – estão dando uma lição ao seu público.

A partir de agora, a antiga “Xbox Game Mil Grau” deverá pensar duas vezes antes de soltar piadas caracterizadas como racistas por grande parte da comunidade, seja no Youtube ou no Twich. Acreditamos que agora eles devem ter medo de ter tais conta banidas, e é isso.  Pessoas que praticam racismo devem voltar a ter medo de se manifestar.

A Xbox Brasil parece que entende que a comunidade do Xbox não precisa e não deve ser representada por pessoas com tantos pensamentos de ódio. Existe sim, uma parte da comunidade que acredita que mulheres, negros, gays, nordestinos, e tantos outros não são piadas, são jogadores e merecem respeito. Todos devem jogar juntos, a diversidade humana precisa ser respeitada – é essa a resposta que a Xbox Brasil acaba repassar no Twitter:

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.