Carregando...

Estratégias diferentes entre Xbox Series X e Playstation 5 causam divergências na “mídia gamer”

A Microsoft irá continuar suportando os usuários do Xbox One com jogos, mesmo após o lançamento do Xbox Series X. Bem, a Sony não fará isso com o Playstation 5 e diz que irá forcar ao máximo na próxima geração. As estratégias são bem diferentes, e isso causou algumas divergências também na “mídia gamer”.

Mike Ybarra é ex-membro do conselho de diretores da Microsoft: tornou – se vice-presidente da divisão Xbox na empresa Redmond, cargo que deixou no ano passado após quase duas décadas de carreira profissional na empresa. E por incrível pareça, ele gostou da estratégia da Sony, ao afirmar o seguinte:

Eu gosto disso. Eu gosto de ter algo que é a mais recente na tecnologia absoluta e mostra meu investimento da melhor maneira possível. Também reduz o tempo de desenvolvimento, quando os desenvolvedores podem se concentrar na otimização absoluta de um hardware de console. Mas, ao mesmo tempo, tem o custo de uma base de instalação menor.

Então, segundo Mike tem vantagens e desvantagens. Enquanto todas as equipes estão voltadas para o Playstation 5 (base menor), a base maior que é a do Playstation 4 fica sem jogos – é o custo desta estratégia. Embora que, ter toda equipe voltada apenas para um console e esquecer os demais pode ser vantajoso. Bem, a discussão continua e temos algumas reviravoltas interessantes abaixo.

Nibel, insider renomado que vocês já conhecem nesta casa, fã do Playstation inclusive, foi curto e grosso ao afirmar que a estratégia da Sony é puro marketing para o Playstation 5. Ou seja, vários jogos poderiam ser portados para o Playstation 4 por equipes específicas, mas que a Sony prefere forcar no PS5 como o que ele chama de “Marketing 2.0 Baby“.

Notem, Nibel respondeu um tweet de Jeff Grubb da Venturebeat, site este de alta credibilidade que divulga rumores confiáveis e os dados do NPD group sobre vendas de consoles. Jeff Grubb disse sobre a estratégia da Sony:

A maneira esperta de dizer “arranje um segundo emprego” / “nós temos um console para essas pessoas, é o xbox 360”.

Segundo Grubb, a Sony está fazendo igual ao Don Mattrick do antigo Xbox quando perguntaram para ele o que as pessoas sem internet iriam fazer para jogar no Xbox One, Don respondeu ” fiquem com o Xbox 360″. Algo que foi tido como arrogância na época, e lembramos que a Microsoft mudou essa política e o Xbox One pode ser jogado offline sem problemas.  Dessa forma, a Sony estaria fazendo o mesmo que Don Mattrick fez para Grubb.

Ryan McCaffrey da IGN dos Estados Unidos afirmou o seguinte:

… A Sony está adotando a estratégia de atualização mais tradicional, e a Microsoft está mais parecida com um PC…

Sinceramente, com a Sony sendo líder de mercado, a IMO não importa de que “lado” você está, cabe à Microsoft enviar uma mensagem CLARA sobre como a estratégia entre gerações ainda significará que os jogos aproveitam ao máximo o Series X – que não são “retido.”

O que é claro que não serão. Assim como os PCs.

Notem, Ryan acredita que a estratégia da Microsoft é melhor e que isso  CLARAMENTE (capslock dele) não irá tirar o poder dos jogos do Xbox Series X, afinal, o mesmo ocorre com os PCs e tais jogos não perdem o poder só por rodarem em máquinas mais modestas. Além disso, ele enfatiza que a Microsoft deverá deixar isso claro para o consumidor e até mesmo evitar distorções que muitos pregam em sites “especializados”.

Então é isso, alguns acham interessante a Sony deixar o Playstation 4 para o passado (Mike Ybarra), outros acreditam que é apenas marketing e outros acreditam que os jogos do Xbox Series X terão poder, afinal o mundo mudou e os consoles estão cada vez mais parecidos com PCs.

Pelas nossas pesquisas, até o momento, o maior apoio é para a Microsoft e seu Xbox Series X. Ocorre que, muito provavelmente, Mike Ybarra não é jogador de Playstation 4 – todos conhecem a sua paixão pelos PCs poderosos.  Talvez se ele não tivesse tanto dinheiro e possuísse um console da Sony, pensaria diferente.

O que vocês acham?

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.