Que bomba foi aquela? Até agora muitos estão sem acreditar que vão jogar títulos da Microsoft no lançamento gastando muito pouco, sem dúvida alguma... Microsoft foi fantástica com o Game Pass, um grande passo para um online gratuito

Xbox-One-Vendas

Que bomba foi aquela? Até agora muitos estão sem acreditar que vão jogar títulos da Microsoft no lançamento gastando muito pouco, sem dúvida alguma foi uma das maiores bombas dessa geração e nem o anúncio da data de God Of War conseguiu abafar a explosão que o Xbox causou ontem.

A Microsoft foi fantástica. Não é a primeira vez que falamos neste site sobre como a empresa está apostando mais e mais em serviços e este é um ótimo exemplo. Phil Spencer queria provar a Satya Nadella que o Xbox pode ser rentável com base em serviços e, portanto, não é surpreendente que a marca esteja cada vez mais rentável.

Nós últimos anos, deste a entrada do indiano Satya Nadella no comando central da Microsoft, o foco é a nuvem, e assim o Windows se tornou um serviço, o Office também, e o Azure se tornado fonte das maiores riquezas nas sua receita. A mesma filosofia que está fazendo a Microsoft nadar em dinheiro está sendo levada ao Xbox. A Microsoft sempre foi historicamente conhecida como a “rainha dos softwares”, mas hoje é a da nuvem, pois  foi natado pelo indiano que esta se posiciona acima do software. Por exemplo, muitos usuários do Mac da Apple e do Android assinam o Office 360, ou seja, o sistema não é da Microsoft, mas ela vai até os usuários dos sistemas concorrentes via nuvem, mesmo que os usuários não usem o Windows Phone ou o Windows no PC.

Se engana quem acha que “Xbox” é apenas um console, é também, mas hoje vai muito além disso. O Xbox, assim como todos os outros produtos da nova Microsoft,  é um serviço. Não custa lembrar, Microsoft possui o monopólio dos games nos desktops, pois na esfera dos jogos, o sistema da Apple e o Linux não são tidos como concorrentes. O “concorrente” do Windows 10 é o Windows 7. Contudo, como dito acima, a empresa hoje é mais serviço do que software, logo oferecer os serviços Xbox como o Game Pass e o Play Anywhere  aos PCs é algo que chocou a muitos, mas diante da nova Microsoft, foi algo esperado.  Atualmente, o mercado de PC Gamer vende muito o Windows e seus serviços.

Phil Spencer está conseguindo transformar PCs em Xbox One[modo gamer e Microsoft Store com UWP], trouxe vários serviços amados pelos jogadores, o melhor hardware nos consoles, mudando radicalmente o conceito de venda de jogos. Hoje, você pode gastar pouco e se divertir, e isso reflete no aumento de assinantes dos serviços Xbox.

Objetivo, eliminar o pagamento online?

As intenções do Xbox com mais essa grande novidade do Xbox Game Pass é focar no Xbox como serviço. Fornecer valor para vender mais consoles, conquistar jogadores do PC presos a Steam, gerando mais renda ao trazer um serviço mais digno aos usuários. Lembre-se de que uma assinatura do Game Pass é mais cara do que uma assinatura do Xbox Live Gold. A assinatura Gold com o tempo começará a fazer menos sentido, agora a atração principal, além de jogar online, é que você ganha 4 jogos, algo que, começa a fazer mais sentido o Xbox Game Pass assumir isso no futuro.

Eliminar o pedágio de pagamento para jogar online não é apenas um golpe mestre, é algo viável no sentido de que o Xbox Game Pass começará a ser quase obrigatório no futuro. Sem a Gold, a Microsoft poderia vender mais consoles que assinaram o Xbox Game Pass, e dessa forma, não teria um buraco nas contas do Xbox.

E não nos esqueçamos dos jogadores de PC. A animosidade para a Microsoft para esta comunidade geralmente vem de sua loja. Com o Xbox Game Pass, o jogador do PC também se beneficia de parte do serviço, mas não paga para jogar online. Ou seja, o Xbox Game Pass também é o gateway da Microsoft para seduzir os desenvolvedores a apostar no Xbox Play Anywhere, pois tais jogos serão ainda mais rentáveis se fizerem parte desse programa.

Então sim, a Microsoft ganhou a batalha das assinaturas. Do outro lado da lagoa, temos uma Sony que deve se contentar com o Playstation Now, um serviço que um dia deixará de ser beta, mas com os problemas de conexão da PSN, com jogadores ficando off-line, fica difícil de acreditar nisso por enquanto. Com o Xbox Game Pass como fonte de receita viável, e um online gratuito, a Microsoft, a longo prazo, tornaria o Xbox mais vantajoso, sem perder dinheiro para investir em mais jogos exclusivos.

O que vocês acham?

jorgemoderador

Sou advogado e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Acompanho todos os produtos das Microsoft, inclusive como jogador do Xbox One.

Curta nossa nova página no Facebook!