Carregando...

O ano de 2018 da Microsoft em análise: o bom, o mau e o feio

Bem-vindo a 2019, e a Microsoft inaugura o ano como a empresa mais poderosa do planeta… mas como tudo isso aconteceu? Quais produtos foram lançados? O que deu certo e o que deu errado? Bem, é justamente isso que vamos analisar aqui. Apesar da Redmond ser a maior potência financeira mundial da atualidade, ela ainda não é perfeita e esperado que em 2019 as coisas fiquem ainda melhores.

Como início de 2019, hoje é o momento perfeito para olhar para trás em tudo que a Microsoft alcançou e perdeu nos últimos 12 meses. Este ano tem sido muito bom para a Microsoft e, até o momento, a Apple foi deixada para atrás já que seus iPhones não seguraram o sucesso da empresa de Bill Gates. E apesar de a Microsoft de Steve Ballmer ter permitido à Apple e ao Google dominarem o mercado de celulares, a Microsoft de Satya Nadella é um monstro completamente diferente que conseguiu encontrar muitas outras fontes de crescimento.

Apesar dos excelentes resultados financeiros trimestre a trimestre, houve algumas áreas menos brilhantes neste ano. Farei o meu melhor para destacar o que é bom, o que é ruim e o que foi feio para a Microsoft em 2018.

O bom

A nuvem e as coisas da empresa

Como esperado, o Azure e o Office 365 continuaram a crescer muito rapidamente esse ano, e esperamos que isso continue em 2019. Embora o Azure esteja em expansão, tenha em mente que ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar a líder de mercado AWS. A Microsoft está bem ciente dessa realidade e a primeira aquisição da empresa em 2018 foi a Avere Systems, uma empresa especializada em infraestruturas de nuvem híbrida.

Se o Office 365 continuar sendo um negócio muito importante para a Microsoft, a empresa continuou a promover intensamente sua oferta “Microsoft 365” este ano. O Microsoft 365 é um pacote corporativo completo que inclui o Windows 10, Office 365 e Enterprise Mobility + Security, e devemos continuar a ouvir muito sobre isso em 2019.

O Microsoft Teams, concorrente do Slack da empresa, também alcançou novos marcos este ano. Atualmente, 329.000 organizações estão usando equipes em todo o mundo, incluindo 87 das 100 empresas da Fortune. De acordo com um estudo recente da SpiceWorks, espera-se que o Microsoft Teams experimente os maiores aplicativos de bate-papo colaborativos de crescimento nos próximos dois anos.

Surface

Surface família, Microsoft

A Microsoft lançou vários novos modelos Surface este ano, incluindo o acessível Surface Go, o Surface Pro 6 e o ​​Surface Laptop 2. Desde o seu lançamento em agosto, o Surface de 10 polegadas já se tornou o quarto dispositivo Surface mais popular de acordo com a AdDuplex à frente do Surface Pro 6.

Surface é agora um negócio de bilhões de dólares para a Microsoft, e a empresa também se tornou uma das cinco maiores fabricantes de PCs no mercado norte-americano este ano. Com o lançamento de novos acessórios, como o Surface Headphones, a Surface está se tornando uma marca de estilo de vida com produtos premium que podem facilmente rivalizar com os da Apple. Quando você se lembra de que o primeiro dispositivo Surface foi lançado há apenas seis anos, essa é uma grande conquista.

Mesmo que haja muito o que gostar sobre os dispositivos Surface, eles também receberam críticas por serem difíceis de consertar, e a falta de portas USB-C no Surface Pro 6 e Surface Laptop 2 é realmente difícil de justificar em 2018. Com sorte, é algo que a Microsoft finalmente abordará com a próxima geração.

Alguns ótimos aplicativos para dispositivos móveis

O Windows Phone ainda está inativo em 2018, mas isso não é um problema tão grande assim, já que agora a Microsoft oferece suporte total a dispositivos iOS e Android. O Android obviamente se tornou o sistema operacional móvel preferido da Microsoft atualmente, e a empresa conseguiu criar ótimas sinergias entre os PCs com Windows 10 e os telefones Android, graças a aplicativos como “Your Phone”.

O Microsoft Edge é outro aplicativo que recebe atualizações frequentes no iOS e no Android, e se tornou uma parte essencial do ecossistema da Microsoft graças a novos recursos, como a integração do Timeline. Teremos mais sobre o Microsoft Edge abaixo, mas se você ainda não experimentou o navegador da Microsoft no iOS e no Android, realmente deveria.

Xbox

No ano passado, a empresa provou que está finalmente pronta para trazer mais jogos exclusivos para a marca. A gigante de Redmond adquiriu vários estúdios de jogos este ano, incluindo Playground Games (Forza Horizon 4), Undead Labs (State of Decay 2), Ninja Theory (Hellblade: Senua’s Sacrifice) e Obsidian Entertainment (Fallout: New Vegas). Não nos esqueçamos do The Initiative, um novo estúdio liderado pelo antigo chefe do Tomb Raider, Darrell Gallagher, que contratou grandes talentos este ano.

Espera-se que muitos novos jogos exclusivos estejam no pipeline, mas enquanto isso o Xbox continua liderando na frente de serviços em termos de qualidade. Todos os jogos first party da Microsoft Studios já estão disponíveis no primeiro dia no Xbox Game Pass, e o serviço de assinatura também recebeu muitos jogos incríveis da Bethesda, Square Enix, Capcom e muito mais este ano.

A Microsoft também se esforçou para tornar o jogo mais inclusivo em 2018, começando com o controle adaptativo do Xbox. Inspirado por um hackathon interno, o controle acessível foi classificado como uma das principais invenções de 2018, e esperamos que a indústria de videogames siga a liderança da Microsoft em um futuro próximo.

Graças à Microsoft, o crossplay também não é mais um assunto tabu. Depois de meses de notícias ruins, a Sony finalmente aceitou e permitiu o cross-play entre os jogadores do PS4 e Xbox One no Fortnite. Ainda não está claro se outros jogos se seguirão, mas os desenvolvedores de jogos como a Blizzard e a EA já demonstraram interesse em trazer suporte para o cross-play em seus jogos. Os investimentos no Xbox estão em alta como nunca e a marca também está cada vez mais lucrativa.

O ruim

Windows 10

Os lançamentos fracassados das atualizações do Windows 10 de abril de 2018 e de outubro de 2018 definitivamente foram o ponto mais negativo do ano. A Microsoft ter que pausar o lançamento da Atualização de Outubro de 2018 devido a um bug que excluía arquivos foi um desastre para a empresa, e esperemos que tenham aprendido com os erros.

Apesar de ter milhões de testadores beta no programa Windows Insider, há uma sensação contínua de que a qualidade das principais atualizações do Windows 10 vem diminuindo ao longo dos anos. Isso forçou a Microsoft a ser mais cautelosa durante o lançamento da Atualização de Outubro de 2018, que a partir deste mês pode estar sendo executada em menos de 10% dos PCs com Windows 10 de acordo com o AdDuplex.

Talvez o Windows 10 precise de uma atualização “iOS 12”: menos recursos novos, mas um foco maior em estabilidade e design consistente. E sim, eu ainda acho que o tema escuro no macOS Mojave é muito melhor que o do Windows 10. Este ano, vamos dar alguns pontos positivos para Apple também.

Microsoft Edge

O Microsoft Edge deveria ser o navegador moderno e leve da empresa que pode finalmente substituir o Internet Explorer, mas até agora os usuários do Windows 10 continuaram a preferir o Google Chrome, o Firefox e outras alternativas. O ritmo lento das atualizações sempre foi um grande problema, mas os sites que não estão sendo otimizados para o mecanismo EdgeHTML. Bem, a Microsoft finalmente desistiu de edgehtml, e a empresa planeja lançar uma versão com base de Chromium do Edge do próximo ano, que também será executado em MacOS e versões mais antigas do Windows.

Isso deve ser uma boa notícia para os usuários do Edge, que terão um navegador melhor compatível com todas as extensões do Chrome, mas definitivamente não é uma ótima notícia para a web. Foi muito ruim quando todos os sites foram otimizados para o Internet Explorer, e em breve poderemos acabar na mesma situação em que o Chromium e o Google Chrome se tornam o padrão de fato. A decisão da Microsoft deixará a Mozilla e seu mecanismo Quantum como a última alternativa para os navegadores baseados no Chromium e para o Safari baseado no Webkit da Apple.

PCs sempre conectados

Vimos os parceiros OEM da Microsoft lançarem o primeiro Windows 10 em PCs ARM este ano, e a primeira geração foi bastante decepcionante. Todos esses Qualcomm Snapdragon 835-powered (um chip de smartphone) foram overpriced, oferecendo desempenho decepcionante quando rodando aplicativos Win32 emulados.

As coisas ficaram um pouco melhores com os dispositivos de segunda geração que usam o chip Qualcomm Snapdragon 845 mais potente, mas o Windows 10 em PCs ARM ainda não oferece uma relação preço/desempenho boa o suficiente para a maioria dos consumidores. As coisas devem mudar assim que os desenvolvedores começarem a compilar seus aplicativos para a arquitetura ARM64, e esperamos ver o Google Chrome e outros navegadores rodando nativamente no Windows 10 em ARM no próximo ano. Enquanto isso, você provavelmente deve guardar seu dinheiro e esperar por novos modelos equipados com o próximo chip 8cx da Qualcomm.

A Microsoft deixou seus parceiros OEM liderarem a cobrança este ano, mas esperamos que a empresa lance seu primeiro Surface ARM este ano, mas provavelmente é bom que a Microsoft tenha evitado outra situação do Surface RT com um produto comprometido.

O feio

A Loja Microsoft e os Aplicativos UWP/PWA

Depois de todos esses anos, a Microsoft Store ainda está em péssimo estado. Aplicativos e jogos de qualidade ainda são difíceis de encontrar, e a experiência geral não melhorou muito desde 2015. A partir de hoje, o aplicativo da Microsoft Store frequentemente se esforça para baixar grandes aplicativos e jogos e, como muitos outros aplicativos UWP, demora para usar.

Com os desenvolvedores de aplicativos negligenciando a plataforma UWP da Microsoft, esperava-se que a empresa preenchesse a lacuna com os Progressive Web Apps (PWAs) usando o rastreador do Bing. No entanto, isso realmente não aconteceu este ano.

Ironicamente, os melhores aplicativos que você pode encontrar na Microsoft Store hoje são aplicativos de desktop em ponte, como o iTunes, o Spotify ou os próprios aplicativos de desktop do Office da Microsoft. No início deste ano, a empresa anunciou que estava suspendendo o trabalho em seus aplicativos Office Mobile UWP, o que provavelmente conta muito sobre o desinteresse geral pela plataforma UWP. É um preço que a empresa teve que pagar ao matar o Windows Phone e não tentar mais fortalecê-lo.

Cortana

Neste ponto, a Cortana se tornou o novo Windows Phone. O assistente digital ainda tem seus fãs, mas está sendo ignorada pela maioria dos consumidores, desenvolvedores e pela Microsoft. Apesar do lançamento em 2014, a Cortana está atualmente disponível apenas em 13 regiões em todo o mundo. Esta é uma grande oportunidade perdida para a Microsoft, e é quase como se o assistente digital tivesse sido focado no PC por muito tempo.

Embora a Amazon e o Google tenham lançado muitos dispositivos inteligentes ao longo dos anos, só vimos a Cortana aparecer no Harman Kardon Invoke e no termostato inteligente GLAS. Duvidamos que outros fabricantes considerem integrar a Cortana em seus produtos no futuro, e eles realmente não precisam: a Microsoft se uniu à Amazon para integrar a Cortana com o Alexa, e o assistente digital da Amazon agora está disponível nos PCs com Windows 10, bem como consoles do Xbox One.

Em suma

A Microsoft realmente conseguiu muito este ano, apesar de, do ponto de vista do consumidor, parecer que o Windows 10, a Cortana e outros produtos estão em segundo plano. É verdade que o Windows não é tão importante quanto há 10 anos, mas a empresa ainda se preocupa muito com software. Com a Redmond agora produz seu próprio hardware, a empresa não pode deixar de inovar na frente do software.

Note que os lado ruim e feio teriam sido sanados caso o Windows Phone tivesse dado certo, e como dito acima, é o preço que Nadella resolveu pagar. É realmente esperado que a Microsoft volte de uma forma diferenciada nos próximos anos, e estamos ansiosos por isso. Do lado bom, a nuvem, Office, Xbox, apps móveis e Surface estão em alta, e até o próprio Windows continua até mais de um bilhão de usuários.

2019 deve ser um ano ainda mais interessante para os fãs da Microsoft graças aos novos hardwares Surface e Xbox, um novo Hololens e talvez um dispositivo móvel dobrável baseado no Windows. É esperado ainda que até 2020 a Microsoft finalmente lance seu novo sistema operacional e comece uma nova era na história do Windows. Há também o Project xCloud, o novo serviço de streaming de jogos da empresa que funcionará em todos os dispositivos, incluindo smartphones e tablets. Por último, mas não menos importante, depois que a empresa adquiriu o LinkedIn e o GitHub, não podemos esperar para ver qual será a próxima grande aquisição da Microsoft. Se prepare, 2019 tem tudo para ser mais um grande ano já que a Microsoft está mais poderosa do que nunca.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.