Carregando...

Phil Spencer afirma que irá focar em taxa de quadros, além da resolução

A Microsoft está preparando o caminho para que, no final do ano, seu novo console Xbox Series X seja lançado com todo o interesse para profissionais e consumidores na indústria de videogames. O console, um novo hardware com uma capacidade bruta teórica de 12 teraflops, pode oferecer gráficos de 8K e será compatível com a tecnologia Ray Tracing. Mas Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, acredita chegou o momento de se concentrar em oferecer jogos com taxas de quadros mais altas.

O Xbox Series X, uma máquina que espera que seja duas vezes mais poderosa que o Xbox One X em termos de teraflops, oferece melhores gráficos e elementos técnicos, como telas de carregamento rápido, leituras quase instantâneas no disco. Agora, Spencer acredita que, graças ao poder e à infraestrutura que eles criaram com os desenvolvedores da plataforma Xbox, eles podem ir além de um aspecto que considera fundamental na experiência: os frames por segundo (FPS).

“Nunca tentamos limitar o que os desenvolvedores estão tentando fazer em nossa plataforma, sejam aqueles que têm 60 quadros por segundo no Xbox 360 ou aqueles que têm resolução 4K e 60 quadros agora no Xbox One X”, explicou ele. Spencer ao Stevivor. “Queremos oferecer aos desenvolvedores as ferramentas que eles podem testar ou que querem em qualquer plataforma de hardware que tenhamos”, disse o executivo, que não hesitaram em elogiar seu console atual, o Xbox One X.

“Com nosso novo console, podemos oferecer melhores sensações e taxas de quadros mais estáveis, não apenas quanto aos pixels na tela

“Acho que chegamos a um ponto com o Xbox One X na geração em que os jogos são incríveis, e sempre há um trabalho que podemos fazer para mostrar os mais incríveis”, diz ele. “Mas deseja que os jogos sejam tão incríveis quanto parecem. Não é possível nessa geração atual, principalmente porque a CPU tem pouco poder em relação à GPU, e é por isso que queremos oferecer uma sensação e melhores velocidades com FPS.

“Então, olhando para o futuro, tenho a sensação de que as taxa de quadros e sua consistência nos videogames eram algo em que deveríamos nos concentrar mais, não apenas jogando mais pixels na tela”, concluiu. Spencer.

Notem, muitos meios afirmaram que Phil Spencer prefere FPS do que resolução, e não foi isso o que ele disse na entrevista. Ele afirmou e elogiou o Xbox One X, mas que o trabalho com a resolução alta nele foi feito bem, e agora chegou a hora em dar uma CPU mais forte para as próximas máquinas alcançarem taxa de quadro maiores. Ele fez questão de dizer que tanto a resolução quanto os FPS são importantes.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.