Carregando...

Phil Spencer fala dos três erros do Xbox One

Phil Spencer fala dos três erros do Xbox One

microsoft-xbox-one-console-corner

Lembra-se da chegada do Xbox One no mercado? Não chegou sem polêmica. Então eu te recordo, quando foi falado sobre a necessidade de estar sempre ligado (e nem era assim), possível bloqueio por regiões, Kinect obrigatório, sistema de empréstimo de jogos confuso… foi tenso.

O Xbox One original foi anunciado antes do PlayStation 4 e era grande e pesado, com uma fonte que também era separada. O preço a pagar, 500 dólares.  Agora temos algumas declarações de Phil Spencer em que ele reconheceu os erros que ocorreram com o seu lançamento.

Erros trazem lições

Phil Spencer, o chefe da divisão Xbox, se referiu ao primeiro Xbox One em suas últimas declarações. Uma opinião que certamente interessa, e pode não agradar a todos, daqueles que na época compraram o console de Redmond.

kinect-xbox

O Xbox One chegou ao mercado em 2013, antes de seu concorrente, o PlayStation 4, mas comparado ao que você esperaria, não ofereceu fatores diferenciados que fizeram o usuário optar por ele. O Xbox One foi lançado no mercado em 2013 por 499 dólares com o Kinect, e Phil Spencer deixou claro que “era um console muito caro e menos potente que o PlayStation 4“.

“Lançamos um Xbox One que era menos poderoso comparado ao PlayStation 4 e também era mais caro devido à inclusão do Kinect em cada unidade. Pouco poder e preço excessivo … não era o modelo de negócios certo para a empresa “.

Além disso, do preço e poder, Spencer afirma que um terceiro erro poderia ter ocorrido com o lançamento prematuro de alguns jogos emblemáticos, que chegaram cedo demais, um fator que poderia prejudicá-los nas vendas do console.

Ao mesmo tempo se orgulha da posição atual da Microsoft no mercado, graças ao Xbox One X, o console mais poderoso que podemos encontrar hoje. Uma posição privilegiada que eles conseguiram, de acordo com Spencer, por que aprendeu com os erros do passado. Apesar que tais erros não foram cometidos por ele.

Particularmente, esperei um ano para comprar meu Xbox One, pois levei tempo para confiar na marca e na sua força, e o que já não era bom, foi ampliado pela mídia na época – diziam que o PS4 seria 50% mais poderoso, uma mentira. Então o medo tomou conta dos jogadores e a adesão ao Playstation foi maior. Veremos se a Microsoft aprendeu a lição, pois a próxima geração está logo ali.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.

Curta nossa nova página no Facebook!