Carregando...

Um jornalista próximo da Nintendo nega os rumores de Scalebound no Switch

Nos últimos dias, vimos a ressurreição de um fantasma que havia sido por um tempo, não muito longo, esquecido. A possibilidade da ressurreição de Scalebound existe há algum tempo como um rumor, mas o último e mais recente boato acrescentou uma reviravolta inesperada em uma possível bomba inimaginável. Scalebound seria revivido, mas não Microsoft, mas a Nintendo teria chegado a um acordo para a Platinum Games para trazer de volta à vida o projeto. Por incrível que pareça, surgiu em um momento em que a marca registrada de Scalebound havia sido “abandonada” pela Microsoft nos Estados Unidos, adicionando alguma plausibilidade à história.

Hoje (20) podemos dizer que Liam Robertson, um jornalista freelance especializada em games, próximo da Nintendo, e um colaborador regular de Nintendo Life, deixou claro que depois de investigar não encontrou quaisquer vestígio da possibilidade de que o projeto vai voltar novamente, seja da Platinum ou da Microsoft.

Platinum também queria cancelar Scalebound

Em um vídeo publicado menos de uma hora em seu canal no Youtube, Robertson não só fala sobre o boato de Scalebound no Switch, mas também especula sobre o que poderia ter acontecido para que o jogo tivesse sido cancelado Também no mesmo vídeo, ele afirma ter informações detalhadas sobre Scalebound, que nunca veio à luz, e dedicar um vídeo que possui mais dados.

O que pôde garantir nesta ocasião é que “tanto a Microsoft quanto a Platinum queriam cancelar o Scalebound, já que, por muitas razões, era um projeto insuperável“. Bem como o jornalista aponta em seu relatório, a Platinum já não está desenvolvendo Scalebound e pessoas importantes para o jogo como seu produtor executivo deixou a empresa. Não parece fazer qualquer sentido de reviver o projeto tão cedo depois de desaparecer, e menos com os problemas que implicaria pegar o IP da Microsoft, ou a incapacidade de manter um segredo.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.