Carregando...

Xbox Game Pass não sacrifica dinheiro para conquistar clientes, diz Microsoft

Ultimamente, tem havido várias vozes da Microsoft que fazem declarações sobre o Xbox Game Pass, atualmente é certamente um dos serviços em alta da empresa Redmond. Desta vez, foi novamente Phil Spencer que se referiu a ele, voltando-se para questões que podem ser levantadas dúvidas para os fãs de videogames e mídia especializada e que normalmente possuem a curiosidade da rentabilidade do serviço.

Em declarações ao Stevivor, Spencer garante várias coisas que alguns de nós já disseram, o serviço é rentável.

O Xbox Game Pass cresceu mais que o dobro, ano após ano, tem um excelente histórico e é um negócio comercial sustentável.

No X019 em Londres, em novembro passado, Spencer admitiu à Stevivor que a Microsoft “era um pouco opaca sobre quantos assinantes o serviço tem”, mas que ” é um bom negócio” para a empresa. Os comentários de Spencer no Xbox Game Pass vieram depois que o site perguntou se o programa era viável. No Steivor, eles lembram que, além da biblioteca de mais de 100 jogos antigos e de terceiros disponíveis como parte da assinatura, os novos títulos da Microsoft também estão disponíveis desde o lançamento. Isso significa que a Microsoft perde essencialmente uma venda de US $ 60 (R$ 250 no Brasil) por pessoa em títulos como o Forza Horizon 4 ou Sea of Thieves, em comparação com o custo da assinatura mensal.

Dentre os últimos para o serviço estão Tekken 7, GTA V, Devil May Cry 5, Metro Exodus, Shemmue I/II, The Witcher 3, Rage 2 e muito mais. Além dos jogos da Xbox Games Stuidos como Gears 5, The Outer Worlds, Halo Reach e até Ori and The Will of The Wisps.

Embora isso não pareça difícil de assumir em 2019, sabemos que este ano está repleto de títulos first party, como o próprio Ori, Grounded, Bleeding Edge, Halo Infinite, possível Forza MotorSport, Psychonauts 2, Microsoft Flight Simulator e muitos, muitos mais. Então, a dúvida fica: como a Microsoft consegue lucrar? Será que é uma aposta para o futuro ou já é  realmente rentável?

Phil Spencer veio esclarecer que a Microsoft não usou uma tática de isca para aumentar repentinamente o preço do serviço:

Conheço algumas pessoas e vi o que algumas dizem: Ah, elas estão simplesmente queimando dinheiro da esquerda para a direita para conquistar clientes e ser capaz de induzi-los a aumentar o preço mais tarde. Não existe esse modelo para nós. Nos sentimos bem com os negócios que temos agora. Definitivamente, estamos investindo nele, mas não de maneira insustentável.

Faremos ofertas promocionais e outras coisas, como qualquer serviço faria. Mas é um negócio e é um negócio que funciona bem.

Portanto, a Microsoft não para de reiterar seu compromisso com o serviço. Segundo Spencer o Xbox Game Pass já é sustentável e não uma aposta para o futuro. Ele vai bem, obrigado.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.