Carregando...

Xbox já está ganhando no Cloud Game Streaming

Antes de qualquer uma empresa anunciar a distribuição de jogos por setreaming,  muitos já tinham a noção de que a Microsoft estava em vantagem neste nicho da indústria gamer desde antes de a empresa anunciar seus planos para o xCloud. Mas com a parceria da Sony desta semana, parece que a Microsoft tem uma estratégia vencedora para o futuro. E isso é verdade mesmo que o seu próprio serviço não seja o mais popular.

Caso você tenha perdido – e não há como perder – a Sony e a Microsoft anunciaram uma nova parceria de grande sucesso, na qual a Sony, a líder em videogames de hoje, usará a infraestrutura de computação em nuvem baseada no Azure. A Microsoft, hoje em dia, também é bem-sucedida nos videogames, para conduzir seu serviço de streaming de videogame da próxima geração. Embora esse tipo de competição não seja necessariamente incomum, neste caso, acho que ela fala sobre a mudança gigantescas que está prestes atingir a indústria dos jogos.

Desde que entrou no mercado de videogames em 2001 com o Xbox, a Microsoft apostou na ideia do “vai que cola”, e deu certo. A Sony já dominou o mercado com o sucesso absurdo do Playstation 2, mas o ponto alto da Microsort foi justamente com o Xbox 360 que reinou na maior parte da sua geração, mesmo com um hardware supostamente mais fraco e rede online paga. A Microsoft fez a Sony descer o seu pedestal e mostrou que ninguém pode ser rei eternamente. Contudo, na atual geração, a Sony voltou a ser rainha em termos de vendas de consoles. Algo comum e aguardado, o ideal para os consumidores é justamente a alternância de poder e uma concorrência acirrada.

Mas o mercado de videogames tudo está prestes a mudar, assim como aconteceu anteriormente com música, filmes, programas de TV e outros conteúdos, da mídia física à mídia digital e agora ao streaming. E o streaming exige uma arquitetura de nuvem escalável e distribuída, algo que apenas uma pequena quantidade de empresas possuem – Amazon, Microsoft e Google entre elas – pode oferecer. Portanto, há alguma ironia no fato de que a Microsoft, a que não venceu a atual geração, possa emergir como vencedora na próxima geração de streaming de jogos.

Para muitos, isso significa, ou significava, que a Microsoft, graças à sua infra-estrutura interna do Azure, estava preparada para ter o melhor serviço de jogos baseado em nuvem, que por enquanto é chamado de xCloud (o nome deverá mudar na próxima E3). Mas essa visão sempre foi míope. Sim, a Microsoft pode e vai aproveitar o Azure para o xCloud. Mas esta é a nova Microsoft, a Microsoft que faz parceria com qualquer um, amigo e inimigo. E isso significa que a maior jogada é estar servindo outros fabricantes de jogos com o Azure. Antes ela do que a Amazon ou o Google.

Para este fim, é por isso que a Microsoft tem cada vez mais se aproximado de seus rivais como a própria Nintendo. Entenda que, a dona do Mário tem um buraco devastador quando se trata de nuvem ou até mesmo serviços online básicos. Apesar disso, enquanto mais acordos com a Nintendo são bastantes prováveis, o acordo com a Sony foi altamente surpreendente.

A parceria da Sony com a Microsoft em jogos na nuvem significa que a Microsoft pode ganhar na próxima geração de jogos, mesmo que a Microsoft perda tal geração com seu próprio serviço. Ela ganha de quase todos os lados, e caso aumente o número de assinantes do Playstation Now ou Plus, agora a dona do Xbox passa a lucrar também.

Mas ainda. A Sony, a número um em videogames, acaba de selecionar a infraestrutura de nuvem da Microsoft para seu futuro. Essa é uma grande aposta, especialmente quando você considera que as duas empresas são quase exclusivamente concorrentes, especialmente nos jogos hoje em dia. E é o primeiro do que espero ser uma longa lista de parcerias que a Microsoft deverá conseguir ao longo dos próximos.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.