Carregando...

Microsoft e Google se juntam em prol do “sucessor” dos apps, os PWAs

Microsoft e Google se juntam em prol do “sucessor” dos apps, os PWAs

google-microsoft

Uma parceria entre a Microsoft e Google na esfera de aplicativos… você viveu para ver isso.

Paul Thurrott recentemente comentou com Jeff Burtoft e Aaron Gustafson da Microsoft sobre os planos da empresa para trazer Progressive Web Apps (PWAs) para o Windows 10.

Este é um marco que aguardo muito por muito tempo. Mas com o lançamento da “Redstone 4” – atualmente marcada para março ou abril de 2018 – a Microsoft apoiará formalmente os PWAs como uma característica chave do Windows 10, combinando e de certa forma superando o que o Google fez no Android.

Assistir a indústria abraçar PWAs é emocionante por vários motivos. Esta plataforma de aplicativos é uma tempestade perfeita com uma combinação espiritual dos sonhos multiplataforma Java e a natureza aberta que a web proporciona.

A nova Microsoft está se adequando ao século XXI. E parte de sua estratégia de plataforma evolutiva é abraçar novas tecnologias que não inventou ou não desempenhou papel em seu desenvolvimento. Burtoft e Gustafson disseram que a Microsoft está silenciosamente focando seus planos para o PWAs.

Então, vamos discutir como a Microsoft chegou a abraçar os PWAs e como planeja integrar essa tecnologia no Windows 10. Isso será novidade para muitos.

“O Google liderou o caminho com o Progressive Web Apps, e após um longo processo, decidimos que precisávamos suportá-lo totalmente”, disse Jeff Burtoft da Microsoft. “Nós não estávamos inicialmente certos se fazia sentido alinhar nossa estratégia com a deles, para dar a mesma prioridade”.

Claro, a Microsoft já estava construindo um conjunto de tecnologias que podem ser vistas como concorrentes ao PWA, ou pelo menos uma alternativa. Se você voltar para a Build 2016, você verá a Microsoft apresentou várias “pontes” para desenvolvedores (inclusive a famosa “Astoria”), maneiras de trazer suas bases de código e aplicativos existentes para o Windows 10. Entre eles, algo chamado Project Westminster, ou Hosted Web Apps, que permite aos desenvolvedores publiquem aplicativos da Web na Microsoft Store como aplicativos UWP.

“Hosted Web Apps são aplicativos UWP”, disse Burtoft. “Eles são criados com tecnologias web, hospedados em um servidor web e executados como um site. Mas eles são realmente UWPs que podem ser executados em PCs com Windows 10, smartphone, Xbox One e até mesmo IoT. Os desenvolvedores obtêm acesso a todas as APIs UWP…”.

Mas, assim como a Microsoft estava indo por esse caminho, o Google começou a falar dos PWAs, uma forma formal de pensar sobre aplicativos da web que ofereciam recursos nativos, como design responsivo, segurança, suporte de notificação push, e muito mais.

“O Google teve uma estratégia similar para aplicativos da web”, observou Burtoft. “Mas de um ângulo diferente. Onde estávamos falando sobre como obter aplicativos da web em nossa loja, eles estavam falando sobre aplicativos do navegador que inicialmente funcionavam apenas no navegador Chrome no Android “.

A tomada inicial do Google em PWAs não era tão convincente: o Chrome precisava carregar cada vez o PWA, e não havia nenhuma interface de usuário ou tempo de abertura mínimo. Mas quando o Google introduziu a noção que os PWAs poderiam funcionar como aplicativos nativos, oferecendo recursos como suporte off-line, processamento em segundo plano e muito mais, tudo mudou.

Nos encontramos com o Google cerca de um ano e meio atrás “, disse Burtoft,”para ver se essas duas coisas [Hosted Web Apps e PWAs] eram realmente a mesma coisa. E se eles estivessem suficientemente perto, decidimos que avançaríamos juntos e forneceríamos uma única maneira para os desenvolvedores web criarem aplicativos que funcionam em todas as plataformas”.

Isso é exatamente o que aconteceu.

youtube-wp-hero_0

Como resultado, a plataforma Hosted Web Apps irá se misturar com PWAs no Windows 10 ao longo do tempo, foi dito isso. E a Microsoft começou a trabalhar para esse futuro. O trabalho fundamental ocorreu, aproximadamente, durante o desenvolvimento do Windows 10 Fall Creators Update (“Redstone 3”). E será ativado, primeiro para Insiders, durante o ciclo de desenvolvimento da Redstone 4.

“Nós estamos fornecendo o mesmo suporte para PWAs no Windows 10 como o Google faz [no Android]”, disse Burtoft.

A Microsoft irá colocar PWAs na Microsoft Store, e poderá usar o Bing para adicionar aplicativos automaticamente na loja. O PWA que tiver em seu “manifesto” autorizado isso, a própria Microsoft vai colocar tais apps na loja como suas próprias mãos.

Melhor ainda, com o Google adotando PWAs também, é altamente provável que gigante de buscas converta seus próprios aplicativos – Gmail, Google Calendário, Google Play Music, seja o que for, para PWAs, tornando-se uma plataforma verdadeiramente universal. E isso significa que esses aplicativos, finalmente, estarão chegando à Microsoft Store e ao Windows 10.

Respire. Isso pode acontecer. Provavelmente acontecerá.

tinder

“Isso não é uma conquista da terra”, disse-me Aaron Gustafson. “É apenas uma outra avenida para os desenvolvedores distribuírem e promoverem suas ofertas. Não estamos ganhando dinheiro com isso”.

Internamente, a Microsoft também está fazendo seus primeiros passos para o futuro do PWA para seus próprios aplicativos. Como você pode ter ouvido, o Microsoft Teams está sendo implementado como um PWA para que uma única base de código possa ser executada em qualquer plataforma.

Os PWAs também devem ter um impacto importante e positivo em coisas como o Windows 10 S, que só pode executar aplicativos de loja e o Windows 10 no ARM. Como os PWAs são aplicativos da Store, eles serão executados em ambas as plataformas. E eles ajudarão a minimizar quaisquer queixas de compatibilidade ou desempenho sobre essas plataformas. Os PWAs serão ótimos em ambos.

O Tinder já tem versão web. Se você quer testar um PWA agora mesmo, basta digitar “mobile.twitter.com“. Simples assim.

Quando chega?

Conforme observado, a base para PWAs no Windows 10 foi colocada na atualização Fall Creators. Algum tempo em breve, no entanto, os usuários poderão usá-los isso com o Microsoft Edge no Programa Insider do Windows na Redstone 4. Isso significa que os Insiders em breve poderão executar PWAs e sites no Windows 10 Insider Preview como apps nativos.

A Microsoft está trabalhando com vários parceiros para testarem os PWA no Windows 10 e, mas não divulgou nenhum deles, mas aparentemente são nomes conhecidos. O Burtoft e Gustafson disseram que o trabalho estava centrado em grande parte ao conseguir que os PWAs parecessem e funcionassem bem na área de trabalho.

“Muitas PWAs estão voltadas para o celular hoje devido ao Google”, disse Burtoft. “Mas precisamos de desenvolvedores para pensar fora dessa caixa. Os princípios que o Google fala – design receptivo, e assim por diante – nunca são realmente ilustrados para a área de trabalho. Então está em nossas mãos “.

Em uma nota lateral, um dos aspectos mais esperançosos desta história é ver como o Google e a Microsoft estão trabalhando juntos. Burtoft e Gustafson falaram frequentemente de sua colaboração com o Google. Paul notou que o Google se referia aos seus “amigos da Microsoft” durante uma apresentação pública sobre PWAs este ano. Isso mesmo, “amigos da Microsoft”.

E não é apenas o Google: porque os PWAs é algo aberto, estão sendo abraçados por todos, incluindo Apple e Mozilla.

Quem diria?

Fonte: Thurrott

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.

Curta nossa nova página no Facebook!