Carregando...

Phil Spencer fala sobre a cultura tóxica na indústria dos games

Phil Spencer fala sobre a cultura tóxica na indústria dos games

phil-spencer

Durante seu discurso de apresentação no DICE Summit em Las Vegas, o chefe do Microsoft Xbox, Phil Spencer, centrou-se fortemente na evolução da Microsoft como uma empresa que está aceitando cada vez mais ideias novas e abraçando a diversidade.

“Nós defendemos inclusão. Eu pessoalmente estou empenhado para fazer melhor,” ele disse. “Acho que o trabalho do líder é absorver o impacto, para tomar a responsabilidade pessoal. E para ser claro sobre a nossa cultura: quem somos e o que nós defendemos. Assim como a cultura da Microsoft está sendo renovada, acho que a cultura pode ser a ferramenta que nos permite perceber o verdadeiro poder e potencial dos jogos“.

Spencer falou sobre a indústria e cultura dos games, salientando sua capacidade de trazer a união das pessoas apesar de suas origens diferentes. “É a única forma de arte, onde você anda no lugar de alguém e você vê o mundo com seus olhos. É a única forma de arte, onde você está em pé  de igualdade, independentemente da idade, educação, sociologia, raça, religião, política, gênero, orientação, etnia, nacionalidade ou capacidade”, disse Spencer. “É por isso que o jogo pode ser um dos grandes equalizadores e grandes unificadores para a sociedade. Juntos, podemos fazer uma reflexão do mundo, que só não queremos ver, mas ajudar a mudar o mundo como queremos que seja”.

Uma questão que tem sido discutida mais em círculos de jogos e na mídia recentemente é assédio e abuso tanto na indústria de vídeo game como nas outras mídias de entretenimento. Spencer sublinhou quanto a Microsoft está ciente destas questões e incentivou aqueles para tentar por fim à toxicidade na cultura dos games quando for dada a oportunidade.

“Honestamente, o comportamento tóxico não só machuca o indivíduo, mas toda a nossa indústria. Quando a toxicidade é voltada para um de nós, ela atinge a todos nós. É por isso que sinto-me encorajado quando nossa comunidade se reúne para falar sobre ações específicas”.

Spencer falou em termos muito gerais e não oferece muitas soluções, em vez disso, presumivelmente, fez com o objetivo de fornecer um trampolim para mais mudança cultural.

Você acha que há um problema com o comportamento tóxico nas comunidades de vídeo game? Compartilhe seus pensamentos abaixo.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.

Curta nossa nova página no Facebook!