Kamiya no Xbox e no Japão: a Microsoft precisa se adaptar aos gostos japoneses

A Microsoft tentou em diferentes estágios tentar introduzir consoles Xbox no mercado japonês. Esse mercado sempre foi difícil para a empresa americana e, ao longo dos anos, tornou-se cada vez mais acentuado. Os jogadores japoneses e o baixo investimento da Microsoft nesse mercado nos últimos anos para atraí-los aumentaram a diferença e, a menos que vejamos uma virada nos próximos anos, será muito difícil recuperar os anos perdidos.

Hideki Kamiya falou recentemente sobre isso em uma entrevista ao site Videogameschronicle:

Eu não acho que estou na posição certa para dar esse tipo de conselho, pois apenas alguns dos meus jogos venderam bem. Se eu tivesse que dar uma opinião ao jogador, diria que todos os jogos do Xbox que chegaram ao mercado japonês sempre foram percebidos como um pouco distantes, como se não tivessem sido modelados de acordo com os gostos dos japoneses.

Essa situação me lembra o NES e o Super NES, quando a única maneira de reproduzir títulos não japoneses era prosseguir com a importação. Esses jogos não foram traduzidos para o nosso idioma e muitas vezes eram difíceis de jogar, a ponto de considerá-los mais por colecionar do que por jogar.

Acho que o Microsoft Japão precisa se adaptar às preferências dos usuários japoneses para melhorar as vendas de console. Um exemplo é são as Conquistas, cuja notificação de desbloqueio foi literalmente traduzida para o japonês e não funciona também como a Sony e seus troféus, que também são chamados de ‘troféu’ no Japão.

Phil Spencer reconheceu em várias ocasiões que o Japão é um problema pendente, mas está tentando correr atrás do prejuízo com uma possível compra de um estúdio de jogos por lá, além de realizar diversas viagens para trazer mais jogos japoneses aos consoles – e isso tem entregue bons resultados, mas ainda temos um bom caminho a percorrer.

O que vocês acham?

155 comments on “Kamiya no Xbox e no Japão: a Microsoft precisa se adaptar aos gostos japoneses

    1. Dizem q exclusivo não vende no ps4 kkkkkk
      Final Fantasy VII Remake quebra recorde de vendas da série nos EUA

      Jogo foi o mais vendido de abril de 2020 nos EUA

      22 de maio de 2020 por Vinícius Paráboa

  1. No X360 que teve jogos para o público de olhos fechados não vingou, não será agora, acho que a maior chance da MS é o Xcloud, até o Ps4 já não faz sucesso lá, Switch domina por ser portátil.

    1. Rapaz, o 360 só fez algum sucesso no japão porque o PS3 era uma merda (ao menos no início), pois os japoneses sempre preferem o equivalente nacional, a não ser que seja muito ruim.

      1. Nem sempre, o N64 quase não vendeu por lá. Tanto que tinha estúdios da própria Nintendo ainda fazendo jogo pro Super Nintendo no final da década.

        1. Vc esta se contradizendo ! “Tanto que tinha estúdios da própria Nintendo ainda fazendo jogo pro Super Nintendo no final da década”.

          1. Sim, porque o Super Nintendo foi um sucesso lá, mas o Super Nintendo/Famicom em 1999, que foi quando a IntSys lançou o Fire Emblem Thracia 776, já era um console com 8 anos de idade e sem suporte algum no Ocidente!

  2. E esse lance das conquistas e troféus!? Que pegou?

    Cultura japonesa é, na minha otica. esquisitona!!!
    Esta ouvindo um podcas( MRG) enqanto pedalava e o Solano estava comentando sobre os gostos niponicos junto ao sentido que dao as vozes infantilizadas…

    Curto algumas coisas como animes, manga, tecnologia e talz, mas essa erotização, sexual jokes, maquinas de simular peido(!), simular ereçao(!!), dentre tantas outras, apesar de cultural, é doentio!!

      1. Pior que não é só isso…eles vivem em uma sociedade muito repressora, o esperado de um adulto é uma vida rígida segundo os costumes locais, sem questionamentos e rebeldias…tava lendo uma resportagem justamente sobre isso, se reparar, os protagonistas de jogos/mangás/animes sempre são adolescentes, porque é a única época em que eles aceitam um período de rebeldia…você ser questionador quando mais velho é quase uma heresia, você se torna um pária na sociedade…é uma cultura interessante mas de jeito nenhum gostaria de ter que viver nela…é bizarra demais para nossa cultura latina…rola não…

          1. Serio!!??
            Sei que tem uma turma que gosta do estilo, mas nao entra na minha cabeça isso!!! E olha que o meu gosto é, no minimo, peculiar:

            Eletronica(DEM)>Rock(cristao)>Todas as outras(exceto funk e similiares pq nao sao musica)

            PS: Sou ateu ha uns bons 10 anos, mas antes era evanglico raiz e so ouvia esse tipo de musica, entao realmento gosto –e escuto– de um bom louvorzinho!!!

          2. Mais por piada mas eu só consigo gostar de sertanejo até a década de 90, depois não rola mais.

          3. Minha noiva curte sertanejo e de tabela escuto com ela, se tiver que escolher um eu vou de Gustavo(ão) Lima. Resto chega a doer de tanta sofrência!!!

            E por falar em sofrência, acrescenta ele e todas suas variáveis a minha definição de “Músicas que não são músicas”: funk, rap, tecnobrega, sofrência dentre alguns…

  3. Pior que são poucos jogos japoneses que eu gosto. Mas aí precisam investir em todo tipo pra esses poucos jogos que eu gosto virem pra plataforma
    é meio complicado…

      1. Eu gosto, é um hack’n slash com uma dificuldade legal e uns combos maneiros. Mas é aquilo, eu hoje não entendo como eu gostava daqueles RPGs com milhões de caixas de texto, amava Suikoden, fechei os 3 primeiros recrutando todas as estrelas do destino! Como aguentei esse porre?!

        1. Na época era o que tinha e era bom, mas os jogos foram se atualizando e se tornando mais ágeis, diferente dos jogos japoneses.

      2. Pera ae, pegou pesado, Bayonetta é um dos melhores jogos, é porque realmente você não conhece os jogos realmente japoneses de calcinhas.

      3. Tentei jogar esse game achando que tinha pegada do DMC 4 e quase cai pra tras !!!!

        tem coisa que nao faz sentido naquela regiao!!!!

          1. kkkkkkkkkkkkkkkkk pior que não falou mentira…
            brincadeiras a parte, gosto muito de Halo, mas os jogos que mais gostei foram os Halo Reach, Halo Wars 1 e 2! E rezo para um dia fazerem um Halo mundo aberto (tipo Far Cry da vida) e um Tatics (gostei muito do Gears Tatics)!
            Halo tem seu mérito por ter revolucionado os jogos FPS na época, mas deu uma caída ultimamente, apesar de continuar sendo uma boa saga. Mas realmente não é para todo mundo (ainda bem, imagina se tivesse um jogo universal apenas e ningupem pudesse gostar de outros jogos?)…

          2. Tô jogando o far cry 5 e achando chato pra kct. Gosto, né… já curti muito far cry. Nem sei se termino de jogar.

          3. Cara o Far Cry 5 eu achei bem legal, mas o 4 achei melhor…o que falei de mundo aberto seria algo no estilo, vários locais para ir, bases para conquistar, missões paralelas, etc.

      4. Achei que só eu não tinha gostado de Bayonetta; dropei sem dó nem piedade. Na matéria recente que vc postou sobre a Platinum eu falei o mesmo.

  4. Phil Spencer vai para a terra do Ultraman e do Jaspion por educação. Até Bruce Lee saiu da própria terra, para ser conhecido no mundo.

  5. Sei que muitos aqui já compraram a ideia de que exclusivos não são necessários, jogos japoneses não são necessários. Mas caso o Phil Spencer resolva acertar a mão e lançar jogos em que o público japonês goste, eles são o 3º maior mercado consumidor de jogos do mundo. Seria bom o Xbox vender bem em algum mercado, porquê nem no mercado americano o console é destaque em vendas. Quem sabe no japão o Xbox tem mais sorte…

    1. Nao é nem tanto exclusividade que eu queria fraga… Essa gen o japao cagao legal no pa*!!!
      Começamos sem SF V, alguns outros que nao me recordo mais, mtos games de RPG japa demorando a chegar ao xbox… Esses games doentios de soprar saia para levantar a calcinha deixa para eles hahaahhaahhaha

      Wii tinha cada cosia absurda hahahahahahhaha

      1. Rs. tinha outros jogos como os Dragon Quest, Ni No Kuni, Granblue Fantasy… Se pararmos pra pensar da pra fazer uma peneira, não precisa ser todos. Fora que a própria Microsoft pode fazer uma encomenda específica. Querem ter relevância no Japão mas não querem investir, ai fica complicado.

        1. Tem diversos jogos desses aí que, se tivessem sido feitos por um estúdio da XGS, ia chover de nego defendendo em nome da “diversidade de catálogo”.

    2. Não é questão de “comprar ideia”, sempre vai ser melhor que os jogos estejam disponíveis ao máximo possível de pessoas.
      Vender console já não é mais o que da uma grande porcentagem de lucro como era nos anos 90, que se gastava pouco com material pra fabricação de console e se lucrava muito.
      Seria muito melhor cada um escolher a plataforma que mais agrada e poder jogar todos os jogos que tem interesse.

          1. Ok mas já que querem relevância naquele mercado seria interessante lançar ao menos versões de IP´s mais consagradas de lá.

          2. Não tem como saber se as idas do Phil ao Japão foi pra melhorar imagem do xbox por lá ou pra tentar contratar alguém, ou até mesmo a possibilidade de um estúdio da MS no Japão.
            Se um estúdio independente japonês faz parceria com uma publisher japonesa, seja sony ou nintendo, é algo normal. Agora fazer parceria com empresa internacional é visto com maus olhos, por conta da cultura protecionista e nacionalista que existe lá.
            Eles preferem fechar a empresa do que vender pra capital estrangeiro.
            Esse tipo de diferença cultural existe faz muito tempo e não parece que vai mudar.

          3. O problema não é esse. Japonês não foi santo naquela guerra e sabe disso, o que fizeram na China foi equivalente aos nazistas na Polônia. E os Estados Unidos foram extremamentes importantes na reconstrução econômica do país, e também na Alemanha, no pós guerra. Se você olhar a cultura japonesa hoje vai ver influência americana em praticamente tudo. Em relação a consoles e jogos, eles sempre foram fechados ao mercado estrangeiro mesmo. Jogos que são sucesso por aqui, lá mal se ouve falar. Minecraft e Mortal Kombat são bons exemplos

          4. Esporte preferido dos caras é o baseball e agora vêm com essa de aceitar o que vem de fora… Vai entender…

          5. TALVEZ tenha algo a ver…kkkkk
            Mas falando sério, não é só com os EUA…é com qualquer um de fora do Japão, inclusive filhos brasileiros de japoneses….são extreamente preconceituosos…

          6. Minha ideia é lançar o gears of war trocando os personagens masculinos por mulheres estilo waifu com pouca roupa e voz de criança, trocar os esteroides por silicone e trocar os locust por monstros de tentáculos. Sucesso!

      1. “Seria muito melhor cada um escolher a plataforma que mais agrada e poder jogar todos os jogos que tem interesse.”
        De preferência com Cross-play e Cross-save! 😉

    3. Olha, por mais que eu ache um exagero seu as críticas (espere uns anos antes de decidir! tem muita água pra rolar), eu concordo. Tem que ter single player sim, tem que ter jogo japa sim. Eu nunca nem encostei num Tales e fiquei muito feliz de ter visto o jogo sendo apresentado na E3 do Xbox. Muita gente por aí tem gosto de ocasião.

      Por outro lado, o console é competitivo nos EUA. O grande problema é a Europa… No Japão, a estratégia é bem clara: usar o xCloud. Aliás, depois de ter visto o que aconteceu na geração atual, eu tenho sérias dúvidas se esses novos consoles vão decolar tão cedo… Muita gente só foi migrar de 2015 em diante.

      1. A sim não estou com pressa. Devo migrar só no final de 2023, até lá têm muita coisa para eu jogar, só vou migrar depois de jogar o que tenho vontade da atual geração.

  6. A MS não deveria receber conselhos de um cara que fugiu totalmente da responsabilidade pelo cancelamento de scalebound e ficou fazendo piadinha sobre o jogo. PNC do Hideki Kamiy.

  7. É importante? Muito!!! Prioridade? Não!!! Temos que esperar uns dois anos para ver o que teremos de novidades com os estúdios que a MS adquiriu. Só depois disso que poderemos pensar em Japão.

  8. https://www.microsoft.com/pt-br/p/xbox-one-x-cyberpunk-2077-limited-edition-bundle/9mv6d0mrx0q2?SilentAuth=1&wa=wsignin1.0

    Um vislumbre da nextgen aqui no brasil

    Vegeta: É + de 8.000

    1. O que é Sindrome de Rett?
      Síndrome de Rett é uma doença genética rara não-hereditária que afeta, na esmagadora maioria dos casos, pessoas sem noção como Sonysta e a maneira de como o cérebro dessas pessoas não se desenvolve. WindowsClub : Edição Limitada Cyberpunk 2077 do Xbox One X é caríssima no Brasil.

    2. Mas tem um grande porém nessa historia, lá custa 2000$ essa edição e o Series X será no máximo (chutando bem alto) uns 600$.

      Acredito que se for importado, chegue a esse valor mesmo, mas se for montado na zona franca, ficará na faixa de uns 4.800/5.200.
      Ainda sim, da para ser um pouco mais otimista e colocar a baixo disso.
      Não estou criando expectativas, mas acredito que será entre 4.200/4500, isso é só um PALPITE.

      1. Como saber o preço do Series X? Fácil: divida a cotação do dólar atual pela de 2017 e multiplique pelo preço sugerido do Xbox One X na época (4 mil), assumindo que o Series X também vá custar $499.

        Ou seja, pode chegar próximo de 7 mil reais…

        1. Em Dezembro de 2017 o dólar estava R$3,32 e o preço sugerido dessa edição do Cyberpunk do One X é de incríveis 2000$. (surreal)

          3.32 x 2000 = 6.640 – conversão direta
          Mas em 2017 cobraram 2.340 mais a conversão direta.
          3.32 x 2.000 = 6.640 + 2.340 = 8.980

          3.32 x 500 = 1660 – conversão direta do One X com o dólar em 2017.

          Valor do dólar hoje –
          5,53 x 2000 = 11.060 – conversão direta
          5.53 x 2000 = 11.060 + 2.340 = 13.400

          5.53 x 500 = 2765 – conversão direta se for o mesmos 500$ dólares o Series X com o dólar atualmente.

          Valor da pré-venda do One X – R$ 4.000.
          Foi cobrado 2.340 mais a conversão direta.
          3.32 x 500 = 1660 + 2.340 = 4.000

          Se o Series X custar 500 x 5.53 = 2.765 + 2.340 = 5.105.

          Ou seja, estamos ferrados.

          1. Mas a base de cálculo não é a mesma, no Xbox One do CP2077 é muito mais. Daí eu acho que teria vindo por uns 10 mil esse console em 2017 e 15 mil hoje.

            O seu cálculo é melhor que o meu pois o preço do imposto/custo Brasil não entra na conversão (meu equívoco). 5 mil é uma expectativa realista.

  9. A notícia oficial não é essa não, carai mano,esse demente do Jorge aliena esse gado que não vai atrás da notícia original. Crie vergonha na cara

  10. O mercado japonês será difícil de conquistar, mas eu acho que ter um nome com peso por lá é o bastante pra usar o país como ponte e conquistar o mercado asiático. Japoneses são adeptos do “not invented here” e preferem indústria local, a não ser que o estrangeiro dê algo que vejam como mais vantajoso. O que considerando a língua e cultura como barreira, é algo complicado.

    1. Às vezes eu acho que poderíamos ter um pouco da mentalidade deles. Não tão radical, claro, mas putz, nós praticamente demos de bandeja pra eles o mercado de eletrônicos, primeiro pros japoneses e depois pros coreanos. Até nos carros, a Hyundai era motivo de piada 15 anos atrás, mas hoje tem gente migrando da Ford, GM e até das japonesas pra Hyundai e Kia.

      1. O problema é o complexo de vira-lata que a gente tem… Uma empresa brasileira que fazia eletrodomésticos baratos era a CCE, mas todo mundo falava mal, diziam que a sigla significava “Continue Comprando Errado” e zoava quem tinha algum produto dela em casa. Hoje as pessoas se contentam com equipamentos chineses de péssima qualidade e ainda fala que se quebrar compra outro por ser barato. Enquanto isso a CCE foi comprada pela Lenovo, e com esse nome ninguém critica mais. Com essa mentalidade fica difícil…

        1. Gradiente também. Inclusive a Gradiente depois de assumir a operação da Nintendo no Brasil chegou a localizar alguns jogos grandes pro N64!

          Nem a Embraer, que era nosso orgulho, está hoje sob controle nacional… A Boeing comprou.

          1. Pois é… Tinha até me esquecido da Playtronic…. E o caso da Embraer é emblemático. Mesmo que o país não seja monstro em importações pro exterior ou em produzir artigos e equipamentos “top mundial”, pelo menos que tivesse uma indústria local produzindo para dentro do país… A gente tem praticamente nada hoje…

  11. Já falei várias vezes e volto a repetir. O Japão é um mercado minúsculo e extremamente superestimado. A Sony vendeu 10 milhões de consoles PS4 no Japão. Sem essas vendas, ainda assim, a empresa teria vendido 100 milhões de consoles. Isso mostra a insignificância do mercado japonês comparado ao mercado americano e ao mercado europeu. A Microsoft tem que abandonar esse mercado de JRPG 16-bits, porque a maioria das empresas japonesas não evoluíram disso, e nem os japoneses em termos de ‘gosto’ para games. As empresas japonesas que são realmente grandes, são as que se voltaram ao mercado ocidental, como Capcom, From Software, Square Enix e Bandai Namco. A Microsoft não deve e não precisa desses jogos japoneses esdrúxulos e tão pouco de um mercado tão significante e tão anti-americano. O Japão é extremamente sequelado por causa da guerra, e isso fez eles se tornarem extremamente patriotas. Japonês não compra produto americano, e nem adianta. Eu, no lugar da Microsoft, desistiria desse mercado e nem lançaria o Series X por lá.

    1. Excelente post, merece estar em destaque. Japoneses não tem problemas apenas com games e sim com tudo, deve ter sido o efeito da radiação com as duas bombas.

    2. Mesmo sendo um mercado pequeno, muito dos jogos produzidos por lá, tem sim expressividade em outros países que o admiram, tanto na Ásia como na Europa, e uns poucos espalhados pelo mundo, e a Microsoft vê isso, como um nicho que pode fazer um diferencial ou até mesmo comparar com a Sony, ou a Nintendo.
      O que a Microsoft precisa realmente é montar pelo menos umas três grandes equipes de desenvolvedoras para desenvolver jogos justamente para este nicho, agradando assim a gregos e troianos.

    3. Dizem q exclusivo não vende no ps4 kkkkkk
      Final Fantasy VII Remake quebra recorde de vendas da série nos EUA

      Jogo foi o mais vendido de abril de 2020 nos EUA

      22 de maio de 2020 por Vinícius Paráboa

    4. Sabe dizer quanto que o PS2 vendeu no japão? Esse console foi o apice do Japão e da Sony no mercado de games mas foi onde começou o declinio dos japas limitados.

    5. Outra vez li uma matéria, há muito tempo atras, sobre o pq dos japoneses terem sido passados para trás de forma violenta nesse mercado de games, dominaram por vários anos e agora tirando algumas softhouses como Capcom e From Software, são praticamente irrelevantes. Um dos problemas que lembro de ter visto na matéria é como eles trabalham de maneira extremamente fechada e não gostam de compartilhar conhecimento, ao contrario das softhouses ocidentais. OS caras passam anos desenvolvendo uma engine e quando ela fica pronta já parece ultrapassada devido ao fato de ter passado tanto tempo em desenvolvimento, e depois guardam todos os segredos da engine a sete chaves enquanto as softhouses ocidentais criam engines como Unreal Engine e a Cry Engine e eles antes vendiam a engine e agora elas são gratuitas e as devs pagam pelos royalties dos jogos desenvolvidos usando essas engines. Vou tentar exemplificar como e essa mentalidade tosca dos japoneses de não compartilhar conhecimento: Quem gosta de jogos de corrida já viu que vários jogos possuem aquele traçado na pista que auxilia nas curvas, não lembro qual primeiro jogo apareceu isso mas com certeza já é algo compartilhado visto que varios jogos já possuem como forza e grid, caso fosse a Sony que tivesse desenvolvido esse traçado na pista para usar no gran turismo, apenas esse jogo usuaria esse recurso. Foi justamente essa mentalidade arcaica e atrasada de não compartilhar conhecimento que provocou o declinio dos japoneses.

      1. Dizem q exclusivo não vende no ps4 kkkkkk
        Final Fantasy VII Remake quebra recorde de vendas da série nos EUA

        Jogo foi o mais vendido de abril de 2020 nos EUA

        22 de maio de 2020 por Vinícius Paráboa

        .

        1. Imagina quando esse “exclusivo de Playstation” kkk… chegar em todas as outras plataformas. Bem que no xbox se bobear já deve chegar direto no Game Pass kk…

        1. E também já está no grid 2019, pode ter certeza que se isso tivesse sido criado por uma softhouse japonesa arcaica e retrógrada não veríamos em nenhum outro jogo.

    6. Desculpe amigo não concordo com vc,é por esse pensamento de donos de xbox que jogos como Nino Kuni,Persona,Dragon Quest e vários outros não vem para o lado verde.O que é muito errado…veja no caso de Nino Kuni por exemplo saiu para todas as plataformas PS4,PC,Switch e quem ficou de fora Xbox,isso em outros casos também…isso não pode acontecer só o Xbox ficar de fora de receber um jogo que é bom e relevante.Um bom video game tem que agradar todos os públicos todos sem exceção.Uma pessoa pode pensar pq vou comprar Xbox se pode nao sair aquele determinado jogo pra ele!?Xbox tem que abrir o olho é o lanterna da geração,atrás de todas as outras plataformas.Antes que venha falar que sou Fanboy eu tenho os 2 games blz…

      1. A maioria das franquias japonesas que são admiradas pelo mercado ocidental chegam ao Xbox, porque são justamente franquias que fazem sucesso na Europa e na América, e também porque são publicadas por empresas de porte mundial, como a Bandai. Exemplos disso são Dragon Ball Z, Naruto, Final Fantasy, Once Piece, One Punch Man e outros. A grande questão aqui é que o filé minion das produções japonesas são lançados para Xbox, seja no japão ou no ocidente. Agora JRPGs genéricos, com histórias genéricas, personagens genéricos e que não evoluem para acompanhar os jogos da nova geração, eu sinto muito, imagino que isso não faça falta no ocidente e nem eu conheço algum desses jogos como Tales of Alguma coisa, ou Kingdom de não sei o quê que tenha sido um best-seller em vendas no ocidente.

    7. Bom comentário, mas não vejo como crítica ao Xbox, pois os movimentos do Phil Spencer tem sido exatamente na linha do ponto central do seu argumento: ir ao Japão pra trazer os jogos deles ao público ocidental, adaptados ao nosso gosto. Phil não está interessado em vender consoles lá, muito pelo contrário, pois ele sabe que os japoneses perderam o interesse por console de mesa.

    8. Odeio jogos japoneses mas acho que ele faz por respeito, a imprensa especializada procura motivo para criticar a MS, imagina a Microsoft vira as costas para o Japão, iria cair matando, ainda mais que grande parte desses jornalistas são de gerações antigas acostumadas a esses jogos, resumindo faz por imagem.

      1. Eu acho que isso não tem nada a ver, uma vez que uma empresa quer dinheiro. Se um determinado mercado não tem retorno, não existe porque uma empresa que pensa racionalmente apenas em expandir seus lucros, ficar se focando naquele mercado. Acho válido a Microsoft tentar recuperar esse mercado, mas se não houver uma resposta, não vejo razões para continuar insistindo nele.

  12. Se a Microsoft emplacar o Xcloud no Japão já vai ser meio caminho andado. Lá eles preferem de longe as platormas mobile. Quanto aos jogos é da-lhe punhetinha e mangazinho.

  13. Tudo que presta no Japão são os jogos feitos para o Ocidente, a maioria feita com foco no Japão é muito ruim, acho que a Ms pode fazer esse tipo de jogo, jogo estilo japonês mas focado no ocidente como foi Lost Odissey que é sensacional, mas fazer jogo focado pro Japão é perda de tempo e dinheiro, até mesmos as novas ips feitas para o publico japonês passam trabalho, eles compram muito os clássicos, Dragon Quest, Monster Hunter entre outros mas novidades custam a emplacar vendas boas.

  14. E só botar uns peitão gigante ou então faz que nem a Bandai, aqueles jogos porcos de animes. Engraçado ele falar sobre entender, porque raramente a empresa dele legenda algum jogo, hipócrita

  15. Xbox já é fraco na Europa

    Não Existe no Japão

    E os caras abaixo ainda dizendo pra Microsoft desistir de tal mercado kkkk

    Desse jeito nunca o Xbox vai ter a relevância da Nintendo ou Playstation

    N U N C A

    1. Incrível como os meus discípulos não esquecem esse tal de xbox. Acho que até quando eles estão levando vara o que vem na mente deles é “xbox”.

  16. Eu acho que o que pega, e talvez o que faça a diferença para o Xbox, é ter games produzidos no Japão que tenham relevância no mercado de jogos, assim como acontece com os estúdios grandes como Square Enix, Capcom e etc… Pensa no Xbox ter exclusivos da Capcom? O impacto que isso causa?

    Sem falar que o Phil Spencer é um cara super legal, ele REALMENTE quer levar a marca Xbox pro mundo todo e o Japão é um passo importante nessa.

    1. Sobre seu argumento: Exclusivos Capcom para XBox: Dino Crisis 3, Dead Rising 1 (ex-clusivo) e 3 (exclusivo), Lost Planet (ex), Steel Battalion,.. Além de acordo comerciais, como ocorreu com Devil May Cry na E3.

      O console que mais recebeu “exclusivos” Capcom se chamava Dreamcast, e o resto da história nos sabemos…

  17. Xbox NUNCA vai vender na Ásia, desistam. Essa diferença fez o ps3 chutar a microsoft pra terceirona na geração passada. Então acho q Japão é relevante sim.

  18. Esquece o japao, vende pouco la no geral para todos os consoles, xbox nem se fala. Foca na europa e principalmente nos eua, la que ta o dinheiro. As empresas japonesas relevantes hoje, vendem jogos ocidentalizado. Quais os grandes jogos de estudios japoneses da sony? Gow, tlou, horizon,spider?

  19. “Caiu aí? Xbox Live e diversos outros serviços da Microsoft ficam fora do ar nesta sexta (22/05)

    A Microsoft emitiu uma nota afirmando estar ciente dos problemas, e confirmou que está trabalhando para resolvê-los o mais breve possível. A companhia revela que o serviço Microsoft 365, que reúne os principais serviços do pacote Office em uma assinatura, também está passando por problemas, mas não se sabe ainda quais seriam eles.

    Com a queda de hoje, essa é a quarta vez que os produtos da gigante de Redmond passam por dificuldades no decorrer das últimas semanas.”

    Cade a matéria Diordi sobre problemas da rede perfeita???? Hihihi

  20. Acho bem desnecessário que a Microsoft tenha que se sentir meio que obrigado a se adequar aos gostos japoneses. Não tem necessidade nenhuma. Os gostos japoneses são voltados a um certo público em contrapartida ao gosto ocidental abrangem um maior número de usuários.

  21. O Xbox Series X fazendo sucesso nas Américas, assim como era no Xbox 360, acredito que já está de bom tamanho. No Xbox e Xbox 360 a Microsoft investiu em jogos japoneses mas não deu certo, não adianta remar contra a maré. O que a MS poderia fazer é tentar penetrar em mais mercados europeus e em países como China e Coreia do Sul.

  22. É uma posição dele, e é sensata. Vejo que ele está bem pés no chão em falar que não é posição dele dizer o que deve-se ou não fazer, mas que ele sendo perguntado sobre o que acha, tem essa opinião e é isso… Não impondo que é ou não de fato, mas a opinião dele apenas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *