No Brasil, Samsung acaba de lançar seu novo Chromebook como alternativa ao Windows 10

samsung-chromebook-3

Hoje (15), a coreana anunciou lançamento de outro Chromebook no Brasil. O notebook que usa sistema operacional Chrome OS, da Google, e não o Windows 10, chegou ao varejo com preço sugerido de R$ 1.500.

Para quem não conhece, o Chromebook 3 é voltado ao uso na internet e gerenciamento de arquivos na nuvem. Dessa forma, o dispositivo conta apenas com 16 GB de espaço interno.

Mas qual a vantagem? Bem, segundo a Samsung, o sistema Chrome OS é bem leve e leva menos de 10 segundos para ser inicializado. A tela antirreflexiva é de 11,6 polegadas e tem resolução HD (1.366 por 768 pixels).

Ele conta com um processador Intel Celeron dual-core de 1,6 GHz, e 2GB de memória RAM. A Samsung ainda justifica seu valor ao afirmar que a bateria de longa duração garante até 11 horas de duração.

Será que vale a pena?

28 comments on “No Brasil, Samsung acaba de lançar seu novo Chromebook como alternativa ao Windows 10

  1. O chrome os até que é legal…existe muitos webapps com funcionalidade otima. Vale a pena? Sim….fora do Brasil. Esses chromebooks no geral custam pouco mais de 200 dolares que é um preço baixo para um americano, que se fosse comprar um note com windows com desempenho de pior a semelhante, iria pagar perto de 500 dolares. Ai nesse caso um chromebook vale a pena. Agora, 1500 reais no brasil? Meu note custou 1800, tem um i5 (low end, mas da conta do recado), 1TB de HD e uma geforce 820m (roda de boa jogos de 2012 pra baixo (os pesados, claro. Os leves roda até os atuais)). Nao vale a pena pagar 1500 num chromebook

    Um chromebook no brasil so valeria a pena por menos de uns 900 reais, sei la. 800 talvez. Nao mais

      1. Eh foda..MS saindo do brasil (no mobile), xaomi tbm, agora sony (vai importar os aparelhos, mas talvez saia mais pra frente)…ta mais foda que nunca

  2. Para mim não rola, mas minha namorada tem um da HP e ela ama o bichinho. Para pessoas tipo ela, que só usa para Face e YT, vale a pena sim.

    Na próxima versão, rodando os apps do Android, até que não vai ser ruim.

    Mas por 1500 não vale, mas isso é o problema do Brasil.

    1. mas ai que ta..da pra usar pra muito mais. Olha minhas extensoes.
      Tem minha agenda, previsao de tempo, notificador do email, notificacoes do meu celular e mais coisas. Sem contar os webapps, tipos evernote, google play music e outros. Isso tudo no chrome do windows. No chrome os teria as mesmas coisa…so precisa estar ligado na internet, isso que eh o ruim.

        1. sim, pq achei melhor que o software pushbullet, mas to esperando é mesma a cortana em PT-BR e sincronização de notificacoes entre os devices

  3. Chrome OS é leve por que é um navegador e pronto, praticamente é isso, um navegador. Pelo preço, compra um Notebook com Windows 10 com Hardware melhor.

  4. É bom pra quem só usa navegador e nuvem, porque pro resto… Deveria ser bem mais barato, em torno de 800 reais. Pra quem gosta de salvar arquivos no HD para acessar mesmo sem internet, jogar e trabalhar com Office ou programas de design gráfico da Adobe, Corel e etc, não serve. É um sistema baseado em Linux, mas não chega aos pés do Linux Ubuntu e nem do Windows 10.

    1. Em me lembro quando foram lançados os netbooks. A proposta era a mesma e não vingou pela falta de armazenamento. Mesmo com os upgrades posteriores, continuou sem tanta expressão. O Chromebook poderia ser diferente, e pode, se as fabricantes não forem tão gananciosas. R$1500 é mais que absurdo pra um hardware desse, ainda mais que armazenamento é um componente que encarece bastante hoje. Mas, vamos ver. Novidades sempre acabam saindo, ainda mais com uma marca de peso.

      1. O Chrome OS daria certo se seus dispositivos tivessem mais espaço e também se rodassem os programas que o Kernel Linux roda. Da pra usar todos os recursos do Chrome OS no Ubuntu e no Windows 10.

        1. Concordo. A questão é que a Google quer, também, um ecossistema próprio. Possivelmente, não achavam possível até acontecer o W10. Agora todos estão correndo atrás. E, pra que isso aconteça, a Google precisa “prender o usuário” de alguma forma. Um sistema próprio com uma proposta legal foi a resposta. Mas ele é defasado nesses aspectos mesmo. E se usasse os recursos do kernel Linux,daria uma abertura muito grande pro usuário, o que sabemos que ela não gosta muito de fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *