Carregando...

Sea of Thieves merece ser o GOTY de 2019, afirma site

Sea of Thieves foi lançado em 20 de março de 2018, e já vai completar dois anos de vida. Bem, mas acredite, ele acaba de ser nomeado como o GOTY – o melhor jogo do ano – de 2019. Louco isso? Calma, vamos entender isso que “viralizou” e chegou a ser compartilhado pela própria Microsoft nas redes sociais.

Vamos entender isso. O site Games Industry afirma que não tivemos grandes AAA devastadores este ano. Há muitas razões para isso (estamos no final de um ciclo de console, por exemplo), mas não se pode ignorar que muitos de nossos desenvolvedores mais famosos como Bungies, Valve ou Rockstars – estão agora totalmente no mundo dos jogos como serviço. Eles simplesmente não estão mais lançando tantos jogos.

Muitos criadores de conteúdo pararam de fazer filmes de grande sucesso e agora estão criando programas de TV/séries de grande sucesso. E com isso em mente, por que o “GOTY” não pode ser como o Emmy ou ao menos como o Oscar? Se Game of Thrones pode ganhar prêmios todos os anos, por que o Pokémon Go não pode? Ou Fortnite? Ou GTA Online? Ou Rainbow Six? Bem, pelas novas regras do Games Industry, o GOTY de 2019 é o mesmo de 2018: Sea of ​​Thieves.

O primeiro ano de Sea of ​​Thieves começou lento, mas com promessa, e terminou forte. A principal crítica inicial do jogo na época era que não passava de um ‘Mar vazio – sem conteúdo’, sem muito o que fazer após as primeiras horas de busca de tesouros e matança de esqueletos.

Isso não era verdade até o final do ano e certamente não é verdade em 2019. Em março, a Rare lançou sua Atualização de Aniversário, oferecendo ao jogo um excelente modo multiplayer competitivo, uma história de pirata assustadora e um sub-jogo de pesca inteiro que pode ser o melhor modo de pesca já criado.

O modo multiplayer competitivo (ou Arena) e a pesca adicionaram algo bastante importante ao jogo – a capacidade de jogar por um período curto. O Sea of ​​Thieves tem sido um daqueles jogos em que não é possível criar uma’partida rápida’, mas uma batalha na Arena não leva mais de 30 minutos e a pesca é algo que pode ser feito imediatamente sem nenhuma viagem real (que ocupa o maior parte do seu tempo de jogo). A pesca também é uma maneira divertida de experimentar o jogo sozinho, que tem sido uma das maiores desvantagens (ou vantagens) do jogo – é realmente melhor com os amigos.

No entanto, o jogo está tão cheio de coisas que pode até te atrapalhar às vezes.  A equipe passou os primeiros 20 minutos debatendo o que exatamente deveríamos fazer em sua viagem e, em várias ocasiões, o irmão do autor da matéria desapareceu durante uma luta feroz porque estava ocupado pescando na parte de trás do barco.

Phil Spencer, líder do Xbox, compartilhou em sua conta no Twitter:

A Rare abordou isso com uma série de eventos e novos elementos que unem jogadores, incluindo equipes rivais. Um dos favoritos era o Forte dos Condenados, que apresentava um forte místico cheio de tesouros que deve ser desbloqueado ao se completar um ritual e, em seguida, acabar com ondas e ondas de inimigos difíceis. Depois que o ritual inicial é concluído, todos os navios no mar são alertados para o fato de que o forte está ativo … e você vê como todos olham para sua localização.

Eles ajudarão você? Atacarão você? Roubarão seus tesouros? Deixarão você sozinho? Essa incerteza é o que torna sua experiência da aventura diferente de todos os outros.

No exemplo em tela, dois navios cercaram o autor da matéria. Uma vez bem-sucedido, rapidamente pegaram o maior número possível de itens e partiram antes que os oponentes chegassem (poderiam ter pego mais, mas o irmão do autor estava tentando encontrar um peixe raro). Rapidamente saíram e, imediatamente, os avistaram e foi dada uma perseguição épica pelos mares.

Foi uma das tardes mais emocionantes de jogos que o autor da matéria do Games Industry passou nos últimos anos, segundo ele. Sea of Thieves merece o Emmy.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.