Carregando...

Prós e contras das estratégias do Xbox e Playstation para a próxima geração

Foto conceito.

Faltam cerca de seis meses para a E3 2020,e devemos contemplar uma nova geração de consoles. Entretanto, dessa vez, as coisas não serão como antes. Enquanto a Microsoft teve um início de geração desastrosos com o Xbox One lá em 2013, a Sony com seu Playstation conseguiu se dar bem. Por conta disso, é esperado que a japonesa mantenha seu plano antigo e a inovação partirá da Microsoft, que tentará recuperar território.

Na semana passada, fontes da Kotaku afirmaram o que todos nós já suspeitamos, a Sony usará o modelo geracional tradicional de consoles, e novos jogos first party do Playstation 5 não funcionarão no Playstation 4, enquanto a Microsoft deverá optar pelo “modelo do iPhone”, consagrado em outras áreas da tecnologia, mas ainda experimental na indústria dos consoles.

Os jogos Halo Infinite e The Last of US II, que serão lançados no próximo ano, devem mostrar na prática como isso funcionará para o consumidor. Enquanto a Microsoft lançará Halo Infinite junto com o Project Scarlett, mas que rodará em toda a família de consoles Xbox One, The Last of US II deverá ser lançado antes do lançamento do Playstation 5. Qual a razão da Sony não lançar seu grande jogo junto com seu próximo console? Não seria melhor esperar mais alguns poucos meses até a data de lançamento do PS5? Bem, ao que tudo indica o lançamento do PS5 será apenas com jogos exclusivos para tal máquina e assim forçar – e a palavra é essa – a comprarem um novo console, caso queiram os novos jogos da Sony.

Entender a Microsoft não é complicado

A Microsoft mudou muito com a inclusão do novo CEO Satya Nadella, e isso teve impacto em todas as divisões de forma positiva. O valor de mercado da empresa mais que dobrou e tudo isso se deu a nuvem e a aposta em serviços. Atualmente, até o próprio Windows 10 é um serviço. Não teremos um Windows 11, 12… Será a mesma coisa com o Xbox.

Ocorre que, antes a cada novo Windows, a Microsoft iniciava uma nova luta para fazer com que seus usuários atualizassem seu sistema operacional, mas agora não mais. Como dito acima, Windows 10 é um serviço. Aplicando esta tática aos consoles, as vendas do hardware são importante, mas não tanto quanto a venda de jogos e serviços, o que dá dinheiro é o movimento do cartão de crédito dos consumidores.

A Sony ela iniciará a próxima geração a partir do zero, enquanto a Microsoft – se é que para ela será uma nova geração – começar com cerca dos supostos 50 milhões de consoles do Xbox One.

Para ficar fácil de entender isso é só comparar com o iPhone, o smartphone de mais sucesso do mundo e que posicionou a Apple para estar entre as 4 mais ricas do planeta. A Microsoft deverá lançar vários modelos de Xbox, e você comprará aquele que mais se agradar, e caso você não compre, Phil Spencer já disse que está tudo bem. Você não será obrigado a mudar de console. Se você for feliz com um Xbox One Fat, a Microsoft não quer te obrigar a comprar um possivelmente caro Xbox Anaconda. Continuem jogando, assinando Xbox Game Pass, Live, etc… Ter clientes que jogam é mais importante do que números brutos de vendas de consoles.

Imagine se a Microsoft tivesse feito isso no Xbox 360, com seus mais de 80 milhões de jogadores, com uma fidelização com serviços como xbox Game Pass, planos como Xbox All Access ou variedade de consoles como o mais recente Xbox One S All-Digital que roubou a cena na Black Friday do Reino Unido. Se prestarmos atenção, até o Xbox One X pode ter sido um teste de mercado para que a Microsoft entendesse qual a melhor estratégia para a próxima geração, provando uma faixa entre poder e preço.

Prós para o Xbox One

  • Mais confiabilidade para os consumidores que terão seus consoles recebendo mais jogos, ao menos da Xbox Game Studios.
  • Já começa com uma base grande e clientes fidelizados.
  • Muitas escolhas, vários preços, a gosto do freguês.

Prós para o Playstation

  • Com a obrigatoriedade, muitas pessoas devem comprar PS5 se quiserem continuar pegando os lançamentos da Sony e isso pode impulsionar as vendas. Pode ser bom para a Sony.

Contras para o Xbox

  • As vendas dos novos Xbox poderão ser prejudicadas, pois as pessoas não sintam tanta urgência em trocar de geração, mas parece que é algo que não preocupa a Microsoft.

Contras para o Playstation

  • Exige dos consumidores mais gastos para aproveitar novos jogos.
  • Começa do zero, uma nova guerra e terá que convencer jogadores a migrarem para o PS5, inclusive os do PS4.
  • Única máquina, e possivelmente não será barata – principalmente no nosso Brasil.

Atualmente, de acordo com os rumores e declarações das empresas, é basicamente essas estratégias que veremos daqui há alguns meses. Vai ser uma briga das boas, um grande duelo.

Jorge Henrique
Sou advogado, jornalista e fã da plataforma Windows há cerca de 10 anos. Faço cobertura em eventos e estou diariamente atento a respeito do universo da Microsoft no que tange aos produtos para os consumidores. Respondo como editor-executivo do Windows Club. Estou no Facebook e no Instagram a sua disposição.